LANCE!
14/12/2017
18:05
São Paulo

Se Affif Prado conquistou o título de campeão brasileiro de pôquer de 2017, se o carioca Marcelo Mesqueu ficou só a 4 pontos de Prado e garantiu o título de campeão brasileiro de Omaha e se Saulo Sabioni superou field gigantesco para vencer o Main Event do BSOP Millions, existe um jogador que, apesar de não ter ganhado nenhum título no evento, conquistou um feito incrível, jamais visto no pôquer brasileiro.  

O paulistano Paulo Gini, que ainda não é profissional de pôquer, conseguiu a proeza de ser ITM, ou seja, entrar na faixa de premiação, em 15 torneios diferentes da última etapa do circuito nacional. E isso de um total de 25 torneios jogados. Ou seja, o aproveitamento de Gini foi de incríveis 60%. No final, com os 920 pontos acumulados somente no BSOP Millions, Gini acabou na terceira colocação da temporada, atrás apenas de Affif Prado e de Mesqueu. Para se ter uma ideia de seu feito, em TODO o restante das seis outras etapas no ano, Gini tinha acumulado 610 pontos. A destacar também o desempenho do campeão geral Affif Prado, que somou 865 pontos em 10 premiações, com aproveitamento espetacular no Millions.

"Quando o Igor Federal (ex-presidente da CBTH e CEO do BSOP) me chamou e disse que eu tinha feito algo histórico e que dificilmente alguém irá superar, fiquei plenamente satisfeito e com sentimento de dever cumprido. Joguei em 10 dias 25 torneios, consegui 15 ITMs e com pouquíssimos rebuys. Tive que suar de verdade a camisa jogando algumas vezes três torneios ao mesmo tempo. Foi insano e não recomendo isso pra ninguém (risos)”, disse Gini ao site SuperPoker.

Ele já havia terminado em 7o lugar no ranking em 2016 e colocou o nome entre os melhores da temporada pelo segundo ano consecutivo. Foram seis troféus conquistados. E quais as metas para o próximo ano? 

“Meu sonho é que o longo prazo chegue logo e que eu consiga um ou alguns big hits em 2018”, finalizou Gini.