icons.title signature.placeholder Sérgio Prado
icons.title signature.placeholder Sérgio Prado
27/08/2015
15:16

Sabe aqueles dias em que tudo dá certo? Durante o Dia 2 do maior evento principal da história do Circuito Europeu de Pôquer, com 1.700 inscritos, a estrela brasileira acabou brilhando, com André Akkari terminando entre os líderes do EPT Barcelona.

No último nível disputado no dia, André Akkari arrasou seus oponentes na mesa, dando calls perfeitos e achando valor em suas mãos. Eliminando Haralabos Voulgaris e tirando muita fichas em um blefe de Patrick Antonius (com um call de Q High!), o brasileiro do Team PokerStars Pro construiu um stack gigante e terminou com 543.300 fichas. Amanhã, André vai ter mais de 180 big blinds para começar o Dia 3.

O jogador do 4-Bet Rafael Watanabe também deu trabalho em sua mesa. Alvo das piadas dos estrangeiros em sua mesa, que sofriam com a pressão do brasileiro e seu stack enorme, Rafael não ligou para o "bullying" e dominou os adversários, ensacando 371.100 (123 big blinds).

O dia de Luiz Duarte começou bem. Ele conseguiu aumentar o stack para quase duzentas mil fichas. Mas depois acabou perdendo aos poucos boa parte delas. Na mesa com a holandesa Fátima Moreira de Melo (Team PokerStars Pro), Luiz terminou o dia com 105.900 fichas (35 big blinds).

Mas se temos três representantes no Dia 3, perdemos vários jogadores nos seis níveis. Na última mão do dia, João Mathias Baumgarten tinha dez big blinds e A♠J♦ e acabou trombando de frente com um adversário com A♣A♦. Antes dele, João Simão, Myro Garcia, Alexandre Gomes, Felipe Mojave, Hanibael Saneh, Rodrigo Valente, Marcelo Fonseca, Victor Begara, Carlos Galvão, Fernando Rossi e Laércio Yamauti já haviam perdido todas as fichas.

O líder do dia acabou sendo Nick Petrangelo, com 570.000 fichas. Atrás dele estão Amir Tourma (543.900 fichas) e o brasileiro André Akkari (543.300 fichas). Outros nomes conhecidos que tem stacks grandes são Shyam Srinivasan (433.000 fichas), John Juanda (371.000 fichas), Dario Sammartino (335.400 fichas), Patrik Antonius (265.100 fichas) e Jens Kyllonen (214.000 fichas).

Sabe aqueles dias em que tudo dá certo? Durante o Dia 2 do maior evento principal da história do Circuito Europeu de Pôquer, com 1.700 inscritos, a estrela brasileira acabou brilhando, com André Akkari terminando entre os líderes do EPT Barcelona.

No último nível disputado no dia, André Akkari arrasou seus oponentes na mesa, dando calls perfeitos e achando valor em suas mãos. Eliminando Haralabos Voulgaris e tirando muita fichas em um blefe de Patrick Antonius (com um call de Q High!), o brasileiro do Team PokerStars Pro construiu um stack gigante e terminou com 543.300 fichas. Amanhã, André vai ter mais de 180 big blinds para começar o Dia 3.

O jogador do 4-Bet Rafael Watanabe também deu trabalho em sua mesa. Alvo das piadas dos estrangeiros em sua mesa, que sofriam com a pressão do brasileiro e seu stack enorme, Rafael não ligou para o "bullying" e dominou os adversários, ensacando 371.100 (123 big blinds).

O dia de Luiz Duarte começou bem. Ele conseguiu aumentar o stack para quase duzentas mil fichas. Mas depois acabou perdendo aos poucos boa parte delas. Na mesa com a holandesa Fátima Moreira de Melo (Team PokerStars Pro), Luiz terminou o dia com 105.900 fichas (35 big blinds).

Mas se temos três representantes no Dia 3, perdemos vários jogadores nos seis níveis. Na última mão do dia, João Mathias Baumgarten tinha dez big blinds e A♠J♦ e acabou trombando de frente com um adversário com A♣A♦. Antes dele, João Simão, Myro Garcia, Alexandre Gomes, Felipe Mojave, Hanibael Saneh, Rodrigo Valente, Marcelo Fonseca, Victor Begara, Carlos Galvão, Fernando Rossi e Laércio Yamauti já haviam perdido todas as fichas.

O líder do dia acabou sendo Nick Petrangelo, com 570.000 fichas. Atrás dele estão Amir Tourma (543.900 fichas) e o brasileiro André Akkari (543.300 fichas). Outros nomes conhecidos que tem stacks grandes são Shyam Srinivasan (433.000 fichas), John Juanda (371.000 fichas), Dario Sammartino (335.400 fichas), Patrik Antonius (265.100 fichas) e Jens Kyllonen (214.000 fichas).