Treino do Palmeiras no Allianz Parque

Allianz Parque: será usado para evento em dia de jogo do Palmeiras (foto: César Greco)

Thiago Ferri
07/06/2016
18:00
São Paulo (SP)

A WTorre justificou nesta terça-feira a pré-estreia do filme "Independence Day: O Ressurgimento", dia 22, no Allianz Parque. Apesar das intensas reclamações da torcida, já que o Palmeiras terá de jogar fora de sua arena no mesmo dia contra o América-MG, a construtora justifica que a escolha foi feita em comum acordo com o clube, mas uma fonte ligada ao Verdão negou.

- Tínhamos algumas janelas de datas para este caso específico. É a primeira vez que um filme blockbuster como este terá pré-estreia no Brasil. Não é um eventinho em que você põe a tela de cinema e faz ao ar livre. Dentre as possibilidades que se tinha, decidimos com o clube que seria está a melhor desta maneira. O Palmeiras também tentou até o último minuto transferir a partida para quinta (23), isto foi solicitado há alguns meses para a CBF - disse o CEO da WTorre Entretenimento, Rogério Dezembro.

Segundo ele, o Verdão poderia ficar sem sua arena por causa deste evento em três datas: contra o Corinthians, dia 12, Santa Cruz, 18, ou América-MG, no dia 22. Nos outros dois casos, o evento não necessariamente seria no dia do jogo, mas poderiam ter de usar o estádio antes para montar a estrutura no anfiteatro, que receberá 5 mil pessoas para assistir ao filme.

Uma pessoa ligada à cúpula do clube, porém, diz que nunca existiu a possibilidade de escolher entre os três jogos. Segundo o L! apurou, a WTorre informou que aconteceria o evento no dia 22, e o Palmeiras poderia tentar remarcar a partida para o dia 23, pois a estrutura poderia ser removida facilmente. O clube não conseguiu a alteração com a CBF e comunicou a construtora, que manteve a data da apresentação. 

O cronograma revoltou a torcida do Palmeiras, que tem usado a internet para protestar e marcar de ir à arena no dia da pré-estreia para mostrar sua insatisfação. Dezembro aposta na "inteligência" dos palmeirenses a fim de evitar problemas.

- O torcedor é inteligente o suficiente para saber que o estádio foi feito sem um centavo de dinheiro público, sem incentivo fiscal e que o Palmeiras não contraiu dívida com a arena. O modelo de negócio era de o estádio ser explorado. Começar a criar constrangimento para outros eventos atrapalha na manutenção do estádio e também ao clube - reforça Dezembro.

Para o CEO, criou-se a falsa impressão de que para a WTorre é bom não ter jogos no Allianz Parque, mas sim shows. Segundo ele, a empresa vai "ao limite" para casar o calendário de partidas e eventos.

Ainda assim, o Palmeiras neste Brasileiro já enfrentou o Grêmio no Pacaembu, pois o Allianz Parque se preparava para receber o show do cantor Eros Ramazzotti. O clube temia ter de fazer mais sete jogos fora de sua arena por conta de eventos da WTorre. O duelo com o América-MG era um deles. A construtora, porém, diz que desta lista ao menos as partidas contra Santa Cruz e Coritiba, está no segundo turno, serão na casa do Verdão.