Fellipe Lucena
09/05/2016
08:00
São Paulo (SP)

O Palmeiras levará a votação no segundo semestre uma profunda mudança em seu estatuto. O novo texto, elaborado desde 2013 por uma comissão formada por 23 conselheiros, será submetido primeiro à aprovação do Conselho Deliberativo e depois aos sócios do clube. Ainda não há data marcada, mas a expectativa é de que o processo seja concluído até agosto.

Entre as propostas, estão o aumento do mandato de presidente de dois para três anos e a diminuição no número de vice-presidentes de quatro para dois. Há também a diminuição no número limite de conselheiros vitalícios, de 148 para 100, e a redução das diretorias estatutárias para oito - hoje são 26.

No início, havia a ideia de dar poder de voto aos sócios-torcedores nas eleições presidenciais. Essa proposta, porém, não avançou.

Se aprovado, o novo estatuto terá um artigo que dá ao presidente a possibilidade de propor ao Conselho a criação de novos cargos remunerados para tornar a administração do clube mais profissional.

Paulo Nobre dividiu o Conselho em vários grupos e promoveu reuniões setoriais para apresentar o novo estatuto. O último encontro foi realizado na terça-feira.

O texto será debatido nas próximas reuniões do Conselho e depois irá a votação. As propostas que causarem divergência e não forem aprovadas pelos conselheiros serão votadas separadamente pelos sócios. Exemplo: se o aumento do mandato de presidente para três anos não for bem aceito no CD, o sócio poderá aprovar o restante do estatuto e decidir, em votação à parte, sobre o aumento de mandato.

É possível que as próximas eleições no clube, em novembro, já obedeçam ao novo estatuto. Paulo Nobre ainda não decidiu quem será o seu candidato: a disputa está entre os vices Mauricio Galiotte e Genaro Marino, mas o mandatário evita comentar o assunto até com pessoas consideradas próximas.

Lei da Ficha Limpa

"Não ter sofrido, nos últimos dez anos, qualquer penalidade administrativa grave, e não tenha, no mesmo prazo, sido condenado por qualquer crime, nos termos da legislação em vigor". No texto do novo estatuto do Palmeiras, esses pré-requisitos são válidos para todos os cargos eletivos: conselheiro, membro do Conselho de Orientação e Fiscalização (COF), presidente, vice-presidente, entre outros. É uma espécie de Lei da Ficha Limpa.

Outro artigo que chama atenção é o que proíbe o uso de camisas de outras equipes nas dependências do clube, inclusive os internacionais. Se aprovada a proposta, os sócios poderão usar no máximo camisas de seleções quando forem ao Palmeiras.

RESUMO DO NOVO ESTATUTO:


Eleições
Texto do novo estatuto propõe que o presidente fique no cargo por três anos, com direito a uma reeleição. Atualmente, são dois anos e uma reeleição. Além disso, passariam a ser dois vices, e não os quatro atuais.

Ficha Limpa
Para ocupar qualquer cargo eletivo no Palmeiras, como conselheiro, membro do COF, presidente ou vice-presidente, será preciso ter a ficha limpa nos últimos dez anos, tanto no regimento interno quanto na legislação em vigor.

Sócios

Atualmente, o sócio precisa de três anos de clube para poder votar e de oito anos para se candidatar ao Conselho. Esses prazos diminuiriam, respectivamente, para dois e seis anos.

Aqui é Palmeiras!
Os sócios não poderão mais transitar nas dependências do clube trajando uniformes de outras equipes, o que passará a ser considerado infração grave. Só serão permitidos uniformes de seleções.

Mais profissional
Pelo novo documento, o Palmeiras passaria a ter apenas oito diretorias estatutárias: administrativa, financeira, jurídica, de planejamento, social, de marketing e comunicação, de futebol e de esportes. Hoje, são 26. Em paralelo, o presidente poderá propor a criação de novos cargos remunerados (superintendências, gerências e divisões), a serem aprovados pelo Conselho Deliberativo.

Uniformes
Descreve o uniforme um com camisa verde esmeralda, calção branco e meias verdes, e o uniforme dois com camisa branca, calção verde e meias brancas. Terceiro uniforme: será permitido usar outras cores, “respeitando-se as tradições”. Cinza, por exemplo, não se encaixa.