Thiago Ferri
29/12/2016
07:40
São Paulo (SP)

Melhor jogador da Libertadores de 2016, Alejandro Guerra chega ao Palmeiras com a expectativa de ser titular no meio-campo ideal do ano que vem. As credenciais do armador venezuelano são boas. Depois de se destacar pelo Atlético Nacional (COL), o jogador de 31 anos de idade chega à Academia de Futebol tendo sua versatilidade como uma das principais marcas.

Moisés e Tchê Tchê, destaques na campanha do título brasileiro, já são meio-campistas com a capacidade de cumprir mais de uma função. Com Guerra, Eduardo Baptista terá outro atleta com essa característica.

Os últimos reforços darão ao treinador a possibilidade de armar o Verdão no 4-1-4-1, esquema que acostumou-se a usar. Felipe Melo, com negociações adiantadas, pode ser o primeiro meio-campista, com Guerra, Tchê Tchê, Moisés e Dudu pelo lado fechando o setor - Alecsandro e Barrios, a princípio, brigam pela vaga de centroavante.

Nessa temporada, Guerra fez 34 partidas e dez gols. Ganhou o título da Libertadores e fez um gol no Mundial de Clubes, sobre o América (MEX), na decisão do terceiro lugar.

Veja abaixo as opiniões de dois jornalistas colombianos sobre o reforço:

David Metaute, jornalista colombiano:
"Guerra é um meio-campista versátil, que se movimenta bem pelos lados do campo, mas sua grande força é trabalhando no centro do campo. Pode até jogar como um segundo volante, o que mostra sua capacidade de jogar em mais de uma função. Chama a atenção sua habilidade para driblar, fazer tabelas e a velocidade mental para elaborar jogadas no ataque. É atrevido, não teme chutar de longa distância e dá brilho com jogadas elásticas. Mais do que um camisa 10 criativo, ele é um complemento para este tipo de jogador. É importante para apoiar transições e tem um passe preciso. Sofreu uma lesão em novembro que o tirou do time titular por alguns jogos após sua volta. Ele é propenso a ter lesões musculares, mas quando volta retoma rápido o ritmo, parece que nunca se lesionou."

Jhon Eric Gómez, jornalista do El Colombiano:
"Guerra é um jogador muito dinâmico, de grande condição técnica, rápido. Inclusive no Atlético Nacional se mostrou um jogador muito inteligente. Sua principal característica é a rapidez. É muito técnico e um grande jogador. Ele se recuperou de uma lesão que sofreu e voltou a jogar aos poucos. Ainda não voltou a jogar normalmente. Ficou na reserva muitas vezes. Sempre foi um bom jogador, teve grande valor ao Nacional e foi muito aclamado pela torcida e importante para o time."