Palmeiras x Bahia

Palmeiras venceu bem o Bahia, nesse sábado (Foto: RODRIGO GAZZANEL/RM SPORTS IMAGE)

Thiago Ferri
21/05/2018
07:00
São Paulo (SP)

O primeiro tempo considerado brilhante por Roger Machado foi um exemplo para o Palmeiras de como jogar contra times fechados no Allianz Parque. Com mais movimentação e participação intensa dos laterais no ataque, o time abriu o placar com dois minutos e foi para o intervalo já vencendo por 3 a 0.

Nos últimos dois jogos em casa, foram seis gols marcados e um sofrido (3 a 0 de sábado e 3 a 1 sobre o Junior Barranquilla). No sábado, foi consenso no Verdão de que o gol cedo, marcado por Willian, mudou o curso do jogo.

- Toda equipe que vem aqui sabe que se suportar uns 15 ou 20 minutos sabe que de repente a torcida começa a empurrar. Foi importante saber lidar. A equipe hoje mostrou que quando tem a chance tem de matar. Alguns jogos a gente tinha chance, mas a bola não estava entrando. Fomos felizes e capazes de fazer os gols que criamos - analisou Edu Dracena.

Dono de quase 80% de aproveitamento jogando como visitante, o Verdão vinha derrapando na sua arena, especialmente contra equipes que se defendem bem. Tanto que o Palmeiras tropeçou mais como mandante - o aproveitamento em casa subiu de 64% para 66% no sábado.


Com Keno, Willian e Borja no ataque, Roger pediu movimentação do trio para bagunçar a marcação tricolor e também abrir espaços pelos lados para que Marcos Rocha e Diogo Barbosa pudessem apoiar. O camisa 2, por exemplo, deu uma assistência, enquanto Lucas Lima, por dentro, voltou a ter boa participação e participou dos três gols.

- Eu sentia a necessidade e pedi muitas vezes para os jogadores (de ataque) virem ao centro, ou para receber a bola nas costas, ou para liberar o corredor para o lateral passar em velocidade. Se tenho laterais no campo de ataque, vou trazer os atacantes para dentro para jogar no centro e para o Lucas (Lima) flutuar nas partes do campo que ele se sente confortável - analisou Roger.

O Verdão terá mais dois jogos consecutivos no Allianz Parque. Quarta, recebe o América-MG, para definir o classificado às quartas da Copa do Brasil - o time joga por um empate. Sábado, recebe o Sport, novamente pelo Brasileiro, e tendo na cabeça a postura apresentada no último jogo.

- O Bahia tem por característica tirar o espaço para jogar, porém nosso ímpeto no começo do jogo e ter aberto o placar cedo fez o Bahia abrir o campo para jogar. Mas as alternativas criadas para sobrepor a defesa do nosso adversário funcionaram bem. Sem dúvida é um caminho para a gente furar bloqueios de times que sempre vêm muito bem fechados jogar aqui no Allianz - completou.