Paulo Nobre(Foto:Ale Vianna/LANCE!Press)

Paulo Nobre atendeu orientação do COF ao não aderir ao Profut (Foto:Ale Vianna/LANCE!Press)

LANCE!
30/11/2015
20:56
São Paulo (SP)

O Palmeiras foi o único entre os 12 principais clubes do futebol brasileiro a não aderir ao parcelamento de dívida fiscal oferecido pelo governo por meio da Lei do Profut. O prazo para fazer parte do programa expirou nesta segunda-feira, 30, e cerca de 50 clubes fizeram suas inscrições podendo parcelar suas dívidas em até 240 meses. 

Segundo a assessoria do clube, a decisão do Palmeiras de não entrar no programa foi tomada pelo Conselho de Orientação e Fiscalização (COF).  O clube  tem uma dívida de cerca de R$ 50 milhões com a União, segundo levantamento do especialista em gestão esportiva Amir Somoggi. 

Além dos clubes poderem pagar suas dívidas fiscais em até 240 meses, o governo oferece descontos de 70% nas multas, 40% nos juros e 100% dos encargos legais por meio do programa. Entretanto, os participantes terão que cumprir diversas contrapartidas, como limitar o tempo de mandato dos presidentes e os investimentos para o departamento de futebol.