Fellipe Lucena
06/05/2018
08:00
São Paulo (SP)

O Palmeiras se preparou para ter força máxima em suas três próximas partidas, que a comissão técnica considera fundamentais: a primeira é contra o Atlético-PR, às 16h deste domingo, na Arena da Baixada, pela quarta rodada do Brasileirão.

Na quarta-feira, a equipe faz o jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil, contra o América-MG, no Independência. A sequência de jogos-chave termina no domingo que vem, contra o Corinthians, em Itaquera, novamente pelo Brasileirão. 

A ideia é encerrar esta série na ponta da tabela do Brasileirão - ou bem perto dela - e com a classificação encaminhada na Copa do Brasil. Roger Machado pretende usar força total nestes três jogos. 

Para isso, três jogadores ficaram fora do empate sem gols com a Chapecoense (Jailson, Edu Dracena e Bruno Henrique) e só dois dos habituais titulares foram escalados na vitória por 3 a 1 sobre o Alianza Lima (Jailson e Borja). Foi uma estratégia para descansar quem vem jogando com mais frequência em meio a uma enorme maratona de jogos de "quarta e domingo".

Ao todo, serão 16 jogos consecutivos em meios e fins de semana até a pausa para a Copa do Mundo. Quatro já foram (Internacional, Boca Juniors, Chapecoense e Alianza). Borja foi o único atleta a participar de todos esses compromissos, mas havia "descansado" um jogo antes, contra o Botafogo, quando foi vetado por dores no joelho.

O planejamento, até agora, funcionou muito bem - seria perfeito se o time tivesse vencido a Chapecoense, o que o colocaria na liderança do Brasileirão ao lado do Flamengo. O descanso dado aos titulares ainda serviu para dar oportunidade a atletas que vêm jogando pouco, como Luan, Tchê Tchê, Thiago Santos e Hyoran. Todos foram bem e se colocaram como opções para o decorrer das partidas. 

Roger aproveitou até para promover a estreia do zagueiro Emerson Santos pelo clube, nos minutos finais do jogo em Lima. Agora, os únicos a não terem sido utilizados em nenhum momento da temporada são o goleiro Daniel Fuzato, o zagueiro Pedrão, o volante Jean e o atacante Artur - os dois últimos devido a lesões. Só Jean e Pedrão aindanão ficaram nem no banco de reservas em 2018, embora o último tenha viajado ao Peru.

Há jogadores que podem ameaçar os titulares em um futuro próximo, casos de Moisés, melhor em campo no Peru, e Willian, autor de um gol. Neste momento, porém, a tendência é de que o time-base continue o mesmo que bateu o Boca em La Bombonera: Jailson, Marcos Rocha, Antônio Carlos, Edu Dracena e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Bruno Henrique e Lucas Lima; Dudu, Keno e Borja.