icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
20/08/2015
00:44

O desempenho do Palmeiras na vitória por 2 a 1 sobre o Cruzeiro, no jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil, não satisfez Marcelo Oliveira. Mas o técnico avisou que não "lamenta vitórias" e que vai armar o time para atacar a Raposa no jogo de volta, na semana que vem.

- A vitória é sempre muito importante, fundamental. O futebol está muito equilibrado, não tem ninguém absolutamente melhor do que o outro. Sempre temos que comemorar a vitória. O ideal era não ter levado o gol, porque 1 a 0 é melhor do que 2 a 1, mas não podemos lamentar a vitória porque o Cruzeiro é um time veloz, com bons jogadores. O desempenho poderia ser melhor - analisou.

- Não dá para você criar uma situação de só defender (no jogo de volta). Temos de atacar sempre, e não tem como não atacar com Dudu, Cleiton, Zé Roberto, Rafael... E dois laterais que atacam muito. Temos de ter um bom equilíbrio e pensar em fazer gols lá - analisou.

Andrei Girotto, mais uma vez, foi o escolhido para substituir o lesionado Gabriel, que só volta a jogar em 2016. Como nos outros jogos sem o camisa 18, o time encontrou dificuldade para marcar no meio de campo e sair para o jogo, algo intensificado após a lesão de Arouca, que saiu logo aos 25 minutos do primeiro tempo para a entrada de Rafael Marques. Zé Roberto passou a ser volante, mas os mineiros seguiram com mais controle de jogo.

- Não existe a proposta de deixar o adversário jogar, é muito perigoso. Poderíamos levar dois gols do Cruzeiro, como levamos dois do Flamengo. Precisamos marcar mais. Fica muito exposto. Mas ainda não encontramos ali a sintonia para que as coisas se encontrem de forma mais equilibrada. Não gostei da produção como um todo. Fizemos boas jogadas de ataque, mas esporádicas e isoladas.


O desempenho do Palmeiras na vitória por 2 a 1 sobre o Cruzeiro, no jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil, não satisfez Marcelo Oliveira. Mas o técnico avisou que não "lamenta vitórias" e que vai armar o time para atacar a Raposa no jogo de volta, na semana que vem.

- A vitória é sempre muito importante, fundamental. O futebol está muito equilibrado, não tem ninguém absolutamente melhor do que o outro. Sempre temos que comemorar a vitória. O ideal era não ter levado o gol, porque 1 a 0 é melhor do que 2 a 1, mas não podemos lamentar a vitória porque o Cruzeiro é um time veloz, com bons jogadores. O desempenho poderia ser melhor - analisou.

- Não dá para você criar uma situação de só defender (no jogo de volta). Temos de atacar sempre, e não tem como não atacar com Dudu, Cleiton, Zé Roberto, Rafael... E dois laterais que atacam muito. Temos de ter um bom equilíbrio e pensar em fazer gols lá - analisou.

Andrei Girotto, mais uma vez, foi o escolhido para substituir o lesionado Gabriel, que só volta a jogar em 2016. Como nos outros jogos sem o camisa 18, o time encontrou dificuldade para marcar no meio de campo e sair para o jogo, algo intensificado após a lesão de Arouca, que saiu logo aos 25 minutos do primeiro tempo para a entrada de Rafael Marques. Zé Roberto passou a ser volante, mas os mineiros seguiram com mais controle de jogo.

- Não existe a proposta de deixar o adversário jogar, é muito perigoso. Poderíamos levar dois gols do Cruzeiro, como levamos dois do Flamengo. Precisamos marcar mais. Fica muito exposto. Mas ainda não encontramos ali a sintonia para que as coisas se encontrem de forma mais equilibrada. Não gostei da produção como um todo. Fizemos boas jogadas de ataque, mas esporádicas e isoladas.