icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
30/08/2015
19:04

Gabriel Jesus virou titular, desbancando Rafael Marques, na última quarta-feira. Desde então, acumula quatro gols em dois jogos - vitórias por 3 a 2 contra Cruzeiro e Joinville - e virou o grande destaque do Palmeiras. O técnico Marcelo Oliveira mantém a cautela, mas não esconde que vislumbra muito sucesso para o garoto, hoje com 18 anos, no futuro.

- Ele está em um processo de crescimento, vai fazer muito mais na medida que ganhar mais confiança. Ainda tem alguns aspectos que pode melhorar, ele às vezes é um pouco ansioso, faz o passe e já quer receber, mas é agudo, tem um potencial imenso. Alguém pode estar pensando agora: por que não botou antes? Porque trabalhei em categoria de base por muito tempo e sei como funciona, tem que ser de forma gradativa. O legal dele é que cumpre taticamente e tem um poder de ataque muito bom - disse o comandante.

- Em relação a mídia e torcida, é inevitável, ele vai ser assediado. Ele precisa estar trabalhando cada vez mais, buscando fazer um pouco melhor, e as coisas vão se encaixando.

Neste domingo, o Palmeiras fez 2 a 0 no Joinville na metade do primeiro tempo, tomou empate ainda antes do intervalo e só garantiu os três pontos na etapa final. Marcelo chamou a atenção para mais um momento de "apagão" do time, que pela quinta vez seguida abriu o marcador antes dos dez minutos.

- Trabalhamos, conversamos muito sobre isso e precisamos nos cobrar. Não se admite isso. Você está jogando contra uma equipe que tem um contra-ataque, faz dois gols, é uma situação muito boa desde que você tire proveito dela. Se você deitar nesse conforto, não vai dar certo. Nos momentos em que estamos na frente, temos de ter maturidade de saber levar o jogo. Levamos um gol e parecia que estávamos perdendo. Saímos rapidamente e o Robinho estava fora do campo naquele momento, então tomamos o segundo gol - disse o comandante, lembrando que Marcelinho Paraíba marcou gols aos 26 e aos 27 minutos.


Gabriel Jesus virou titular, desbancando Rafael Marques, na última quarta-feira. Desde então, acumula quatro gols em dois jogos - vitórias por 3 a 2 contra Cruzeiro e Joinville - e virou o grande destaque do Palmeiras. O técnico Marcelo Oliveira mantém a cautela, mas não esconde que vislumbra muito sucesso para o garoto, hoje com 18 anos, no futuro.

- Ele está em um processo de crescimento, vai fazer muito mais na medida que ganhar mais confiança. Ainda tem alguns aspectos que pode melhorar, ele às vezes é um pouco ansioso, faz o passe e já quer receber, mas é agudo, tem um potencial imenso. Alguém pode estar pensando agora: por que não botou antes? Porque trabalhei em categoria de base por muito tempo e sei como funciona, tem que ser de forma gradativa. O legal dele é que cumpre taticamente e tem um poder de ataque muito bom - disse o comandante.

- Em relação a mídia e torcida, é inevitável, ele vai ser assediado. Ele precisa estar trabalhando cada vez mais, buscando fazer um pouco melhor, e as coisas vão se encaixando.

Neste domingo, o Palmeiras fez 2 a 0 no Joinville na metade do primeiro tempo, tomou empate ainda antes do intervalo e só garantiu os três pontos na etapa final. Marcelo chamou a atenção para mais um momento de "apagão" do time, que pela quinta vez seguida abriu o marcador antes dos dez minutos.

- Trabalhamos, conversamos muito sobre isso e precisamos nos cobrar. Não se admite isso. Você está jogando contra uma equipe que tem um contra-ataque, faz dois gols, é uma situação muito boa desde que você tire proveito dela. Se você deitar nesse conforto, não vai dar certo. Nos momentos em que estamos na frente, temos de ter maturidade de saber levar o jogo. Levamos um gol e parecia que estávamos perdendo. Saímos rapidamente e o Robinho estava fora do campo naquele momento, então tomamos o segundo gol - disse o comandante, lembrando que Marcelinho Paraíba marcou gols aos 26 e aos 27 minutos.