icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
27/08/2015
00:41

O técnico Marcelo Oliveira elogiou a atuação do Palmeiras na vitória por 3 a 2 sobre o Cruzeiro, nesta quarta-feira, jogo que garantiu o time nas quartas de final da Copa do Brasil. Embora tenha lamentado pelo relaxamento da equipe após abrir 3 a 0, ele disse que "adorou" o desempenho de seus comandados, algo que não vinha acontecendo nas últimas partidas, que tiveram ressalvas do comandante quanto à marcação e a posse de bola.

- Foram 30 mintuos intensos no primeiro tempo, em que decidimos a classificação. Adorei. Fiquei um pouco instatisfeito com um pouco de acomodação no segundo tempo, que acontece de forma até inconsciente. O ideal era não sofrer gols, mas o Palmeiras foi bem. É incomum, em jogos com duas equipes grandes, marcar gols assim rapidamente. Mas foi um tempo de jogo em que o Palmeiras estava equilibrado, marcando bem, saindo com muita força. Isso nos dá uma perspectiva muito boa para o Campeonato Brasileiro também - elogiou o chefe.

A escalação titular do Palmeiras teve três mudanças em relação à derrota por 2 a 1 para o Atlético-MG, no domingo: Robinho entrou na vaga de Andrei Girotto, João Pedro substituiu Lucas e Gabriel Jesus, autor de dois gols e uma assistência, barrou Rafael Marques. Marcelo Oliveira explicou as duas últimas escolhas, que envolveram a saída de dois titulares praticamente absolutos e a entrada de dois garotos de 18 anos.

- É convicção do técnico de que temos um bom elenco. Vocês (jornalistas) falam isso, eu também falo às vezes. Se o elenco é assim, podemos trocar os jogadores, colocar alguns descansados para jogar. No caso do João Pedro eu tinha a preocupação de ter um jogador descansado e de bom poder de marcação, porque o Allisson puxa as jogadas por ali. O João Pedro foi bem na marcação e saiu para o ataque. Em relação ao Jesus, além do elenco, ele tem treinado bem e jogou um tempo contra o Atlético (domingo) muito bem. Ele tem força, habilidade e conclusão. Queríamos descansar também um pouco o Lucas e o Rafael. Isso foi importante e deu muito certo.


O técnico Marcelo Oliveira elogiou a atuação do Palmeiras na vitória por 3 a 2 sobre o Cruzeiro, nesta quarta-feira, jogo que garantiu o time nas quartas de final da Copa do Brasil. Embora tenha lamentado pelo relaxamento da equipe após abrir 3 a 0, ele disse que "adorou" o desempenho de seus comandados, algo que não vinha acontecendo nas últimas partidas, que tiveram ressalvas do comandante quanto à marcação e a posse de bola.

- Foram 30 mintuos intensos no primeiro tempo, em que decidimos a classificação. Adorei. Fiquei um pouco instatisfeito com um pouco de acomodação no segundo tempo, que acontece de forma até inconsciente. O ideal era não sofrer gols, mas o Palmeiras foi bem. É incomum, em jogos com duas equipes grandes, marcar gols assim rapidamente. Mas foi um tempo de jogo em que o Palmeiras estava equilibrado, marcando bem, saindo com muita força. Isso nos dá uma perspectiva muito boa para o Campeonato Brasileiro também - elogiou o chefe.

A escalação titular do Palmeiras teve três mudanças em relação à derrota por 2 a 1 para o Atlético-MG, no domingo: Robinho entrou na vaga de Andrei Girotto, João Pedro substituiu Lucas e Gabriel Jesus, autor de dois gols e uma assistência, barrou Rafael Marques. Marcelo Oliveira explicou as duas últimas escolhas, que envolveram a saída de dois titulares praticamente absolutos e a entrada de dois garotos de 18 anos.

- É convicção do técnico de que temos um bom elenco. Vocês (jornalistas) falam isso, eu também falo às vezes. Se o elenco é assim, podemos trocar os jogadores, colocar alguns descansados para jogar. No caso do João Pedro eu tinha a preocupação de ter um jogador descansado e de bom poder de marcação, porque o Allisson puxa as jogadas por ali. O João Pedro foi bem na marcação e saiu para o ataque. Em relação ao Jesus, além do elenco, ele tem treinado bem e jogou um tempo contra o Atlético (domingo) muito bem. Ele tem força, habilidade e conclusão. Queríamos descansar também um pouco o Lucas e o Rafael. Isso foi importante e deu muito certo.