LANCE!
01/07/2016
08:10
São Paulo (SP)

Os gols de Gabriel Jesus não estão encantando só a torcida do Palmeiras. A ótima fase do garoto, artilheiro do Brasileirão com nove gols marcados, tem enchido os olhos até dos profissionais mais experientes que convivem com ele. Cuca, Fernando Prass, Edu Dracena... Todos se renderam ao atacante de 19 anos após a goleada por 4 a 0 sobre o Figueirense, com dois dele.

- Não tenho amizade de frequentar a casa do Tite, mas conheço de jogar contra e sei mais ou menos o gosto dele. Estou com medo (risos) - disse Cuca, ao ser questionado sobre uma possível convocação de Gabriel Jesus para a Seleção principal após sua participação nos Jogos Olímpicos, esta já assegurada.

- O Gabriel, eu sempre falo, ainda não atingiu o auge dele. Os jogos ensinam coisas novas ao jogador. É o caso dele, do Vitinho, do Matheus Sales... Esses meninos vão ter erros, mas vão aprendendo. O Gabriel está aproveitando as oportunidades, ele sabe fazer a referência, sabe fazer a diagonal, sabe vir de trás com velocidade. Tem coisas a melhorar, mas será excelente jogador - acrescentou o comandante.

Para o zagueiro Edu Dracena, a disputa da Copa do Mundo de 2018 faz parte do futuro da revelação palmeirense.

- Em breve ele vai estar na Seleção principal, não tenha dúvida. Logo vai estar disputando as Eliminatórias, quem sabe a Copa do Mundo também. São pessoas que nascem já iluminadas. Fico feliz de estar participando de um momento importante da carreira dele, com um amadurecimento a cada jogo. É um cara que escuta bastante as pessoas, principalmente os mais velhos. Quando a pessoa quer aprender e melhorar, com o talento que já nasceu com ele, dá certo. Ele tem tudo para ser um dos melhores do mundo em breve.

Para Fernando Prass, que disputará as Olimpíadas ao lado de Gabriel Jesus, já é possível considerá-lo uma realidade do futebol brasileiro. O goleiro creditou parte da evolução veloz do atleta à paciência de Oswaldo de Oliveira, que teve de ouvir reclamações de torcedores por não dar tantas chances ao prodígio durante sua passagem pelo Palmeiras, em 2015.

- Temos de dar mérito ao Oswaldo. Ele soube trabalhar bem aquela ansiedade. Se fosse pela torcida e pela imprensa, o Gabriel seria titular naquela época. Ele estava passando do juvenil para o profissional, é quase outro esporte em termos de contato físico e qualidade técnica. O Oswaldo deu o tempo, ele demorou para fazer gol, as jogadas não fluíam, estava ansioso. Ele evoluiu muito e muito rápido. Pelo que conheço da personalidade dele, ainda vai evoluir muito - opinou o camisa 1.

- Ele está entre os goleadores do Brasileiro. A gente vê Rafael Moura, Grafite, não lembro mais quem... Jogadores com mais de 30 anos, e o garoto tem 19. Ele tende a melhorar alguns aspectos em que tem deficiência, mas sem dúvida nenhuma o Gabriel deixou de ser uma aposta e é uma grande realidade - encerrou o goleiro.

Jesus com os pés no chão

Os elogios de Cuca e de companheiros consagrados somam-se à convocação para a Olimpíada, às frequentes notícias sobre a cobiça de grandes clubes europeus e ao assédio da torcida e da imprensa. Motivos de sobra para Gabriel Jesus perder a concentração? Ele garante que não. E explica:

- Minha família é bem tranquila, bem humilde, de boa, minha mãe pega no pé, então é difícil deslumbrar. Eu gosto de ficar tranquilo, de boa, em casa, com os amigos. Isso faz com que eu pense só no Palmeiras.