Campeonato Paulista - Palmeiras x Red Bull Brasil (foto:Eduardo Viana/LANCE!Press)

Torcedores não poderão usar vestimentas da organizada (foto:Marcelo Machado de Melo / Fotoarena)

LANCE!
30/03/2016
20:46
São Paulo (SP)

A Polícia Militar identificou que 81 pessoas invadiram a Academia de Futebol do Palmeiras na manhã do último sábado. Paulo Castilho, promotor do Ministério Público, determinou a suspensão da Mancha Alviverde, torcida organizada que comandou a ida ao CT, até o fim das investigações.

- Foram cerca de 81 torcedores, a Polícia Militar me confirmou isso ontem (terça-feira). A doutora Margareth Barreto (Decradi - Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância) já instaurou inquérito para apurar vários crimes, como dano ao patrimônio privado, ameaça, invasão de propriedade privada - disse Paulo Castilho, à Rádio Globo. 

- Em razão desses atos de violência, nós suspendemos. Oficiei à Federação Paulista de Futebol recomendando a suspensão de qualquer instrumento, faixa e indumentária que identifique a torcida até findar as investigações. Já tem imagem deles. A doutora qualificando esses torcedores, irei propor para o juiz de direito, doutor Ulisses Pascolati, do juizado do torcedor, que eles sejam cautelarmente impedidos de entrar em estádio de futebol - acrescentou.

No sábado, a Mancha Alviverde publicou nota informando que teve uma "conversa produtiva" com jogadores e membros da comissão técnica sobre a má fase do Palmeiras. Horas depois, uma nota oficial do Palmeiras rebateu esta versão, dizendo que houve invasão ao centro de treinamento e prometendo tomar providências junto às autoridades.

Na segunda-feira, o presidente Paulo Nobre teve uma reunião com Paulo Castilho e com Reinaldo Carneiro Bastos, presidente da Federação Paulista de Futebol. Depois disso, ficou definida a punição.

- Alguns torcedores pularam o muro, renderam os vigias e empurraram o portão de dentro para fora. Outros aproveitaram a entrada de alguns jogadores e invadiram o lugar, que é propriedade privada. Eles violaram um lugar privado, danificaram patrimônio do Palmeiras, intimidaram funcionários... Nós não podemos admitir isso no futebol. Vão ser identificados, já sabemos quais são alguns - completou Paulo Castilho.

Depois da nota do Palmeiras, a Mancha Alviverde publicou uma nova nota dizendo que a Polícia Militar acompanhou toda a manifestação dentro do CT. A PM, porém, foi chamada após a entrada dos torcedores, quando o clima já estava mais calmo. Os jogadores inclusive aceitaram fazer uma reunião com poucos líderes da torcida.