Marcelo Oliveira

Alexandre Mattos demitiu Marcelo Oliveira após a derrota para o Nacional (Foto: Cesar Greco/Fotoarena)

Fellipe Lucena
10/03/2016
18:55
São Paulo (SP)

A agenda do Palmeiras indicava que o treino desta quinta-feira começaria às 16h, mas os portões da Academia de Futebol só foram abertos às 17h10. Antes disso, todo o elenco ficou reunido na sala de imprensa. O presidente Paulo Nobre não esteve no CT, já que viajou ao Rio de Janeiro para um evento da CBF.

A primeira parte da conversa teve as presenças do diretor de futebol Alexandre Mattos e do gerente Cícero Souza. Foi o primeiro contato entre grupo e dirigentes após a demissão de Marcelo Oliveira, decidida logo depois da derrota por 2 a 1 para o Nacional (URU), no Allianz Parque, na noite de quarta-feira. Alguns jogadores já haviam deixado o estádio quando a saída do treinador foi confirmada.

A segunda parte da reunião desta sexta-feira teve apenas os jogadores. Há uma cobrança para que o grupo também assuma sua parcela de responsabilidade pelo início de temporada ruim. Esse discurso foi adotado por Mattos no momento de anunciar a queda de Marcelo e é compartilhado por líderes do elenco.

Nenhum dos personagens envolvidos na conversa atendeu a imprensa nesta tarde. O escolhido foi o médico Rubens Sampaio, que disse ter solicitado ainda antes do jogo a possibilidade de responder a algumas críticas que seu departamento vem sofrendo.

No campo, os destaques foram as presenças do goleiro Jailson e do zagueiro Leandro Almeida, ambos recuperados de lesão. O goleiro Anderson e os meias Arancibia e Fabio Henrique, todos do sub-20, completaram a atividade, que não contou com Fellype Gabriel e Cleiton Xavier. Rubens Sampaio explicou que será comum vê-los fazendo atividades na parte interna da Academia, devido ao número elevado de lesões nos últimos meses.

Como de costume, quem jogou por toda a partida contra o Nacional (URU), exceto Fernando Prass, fez atividades regenerativas.