Thiago Ferri
19/07/2016
07:10
São Paulo (SP)

A convocação de Fernando Prass para a Olimpíada aos 38 anos serve como inspiração no Palmeiras. Mesmo que tenha chegado ao Verdão aos 34, o ídolo é o maior exemplo para o clube reerguer a “Academia de Goleiros”, questionada após a aposentadoria de Marcos.

Desde o fim de 2014 no Verdão, o preparador de goleiros Oscar Rodriguez e seu auxiliar Danilo Minutti implementaram uma metodologia de treino semelhante no profissional e na base. A cada boa partida do camisa 1, o trabalho recebia uma chancela ainda maior de que estava no caminho certo. Como resultado, o clube hoje tem goleiros convocados no sub-15, sub-18 e no sub-20. Daniel Fuzato, dessa última categoria e com passagens pelo profissional, está com Prass na Seleção olímpica.

– Este é um prêmio para o Prass e ao nosso trabalho. São quatro convocações, contando três jogadores da base. Vem coroar o que o Oscar iniciou, me trazendo para cá, e todo o processo de formação, que durante um bom tempo vinha sendo questionado, mas agora estamos voltando muito forte – disse Minutti, ao LANCE!.

Prass tornou-se um exemplo prático. Os garotos se motivam por saber que realizam trabalhos que se assemelham aos que fizeram o titular viver a melhor fase de carreira mesmo com idade avançada.

Sempre que possível, os atletas da base treinam na Academia de Futebol para se acostumarem com a rotina nos profissionais. Os jogadores do sub-20 são os que têm a convivência mais próxima, como Daniel Fuzato. O goleiro conviveu com Fernando Prass no CT do Verdão e agora os dois trabalharão juntos na Seleção, pois Fuzato foi chamado para completar os treinos do time olímpico na Granja Comary (RJ).

– A oportunidade de treinar com o Neymar e todo o pessoal da Seleção, o Fernando Prass, que já me ajuda muito no dia a dia, é fantástico. Um sonho de criança que se realizou – disse Fuzato, ao site do clube.

Depois de muito tempo, o Palmeiras não formou o seu ídolo no gol. Mas graças a ele, o clube espera voltar a criar seus goleiros em casa.

Confira um bate-bola com Danilo Minutti:
‘A vinda do Prass foi importante para o trabalho de formação’

A convocação do Prass coroa o trabalho feito por vocês?
Com certeza. Um trabalho integrado, que não fazemos só no profissional, mas na base também. Temos os três convocados na base, mais o Matheus, um menino do sub-17 que foi eleito o melhor do Mundial Interclubes, e que ainda não foi convocado, mas terá sua oportunidade. Coroa pelo profissional que ele (Prass) é e pelo caráter dele.

Qual a importância do Prass para o trabalho com a base?
A vinda do Prass foi muito importante pelo trabalho de formação. Como exemplo dentro e fora de campo foi muito importante. Estamos sendo coroados com a metodologia que o Oscar implementou, e que a gente vem levando para toda a base. Prass na seleção é uma coroação.

Neste período da Olimpíada, Vagner será o titular. O que pode falar sobre o substituto de Prass?
Os três (Vagner, Jailson e Vinicius) estão em condições de jogo, o dia a dia mostra isso. Todos treinam muito bem e estão em condições perfeitas.

O futuro na meta do Verdão:

Daniel Fuzato: Titular do sub-20, o goleiro tem 19 anos e já foi convocado neste ano para treinos com a Seleção da categoria na Granja Comary e também para o Torneio de Suwon, na Coreia do Sul.

Anderson: Reserva do sub-20, tem 18 anos e treinou com a Seleção sub-18 na Granja, em junho. Já passou pela Seleção sub-15 e foi bem no título do Verdão no Torneio de Bellinzona na Suíça, em março.

Matheus: Aos 17 anos, é titular do sub-17. Não está na Seleção, mas foi bem no Mundial de Clubes sub-17, na Espanha. O Verdão perdeu a final para o Real Madrid, e ele foi eleito o melhor goleiro do torneio.

Ian Lippolis: Titular do sub-15, o goleiro de 15 anos foi convocado para um período de treinos da Seleção, em maio. Destacou-se no futsal do Verdão e foi captado para o time de campo.