Fellipe Lucena e Thiago Ferri
11/03/2016
19:45
São Paulo (SP)

Restam detalhes para que Cuca seja anunciado pelo Palmeiras. Um deles diz respeito à formação da comissão técnica que trabalhará com ele na Academia.

O treinador deve chegar com seus dois auxiliares mais próximos: Cuquinha, seu irmão, e Eudes Pedro, cujo trabalho é voltado para a análise de desempenho. Este último chegaria para trabalhar ao lado de Gustavo Nicoline, Gabriel de Oliveira e Rafael Costa, que hoje formam o departamento de análise de desempenho do Palmeiras.

Riva Carli, preparador físico que estava com Cuca no Shandong Luneng (CHN), não virá com ele. Mesmo assim, o clube está em busca de um profissional para esta função, já que demitiu Juvenilson Souza junto com Marcelo Oliveira. Tico dos Santos e Ageu, auxiliares do ex-treinador, também saíram.

Na visão da diretoria, a preparação física é um dos setores que não estão apresentando os resultados esperados neste início de ano. Por isso, mais do que contratar um preparador da confiança do novo técnico, o clube busca um nome que chegue para fortalecer a comissão técnica fixa, que hoje conta com funcionários como o auxiliar Alberto Valentim (que dirigirá o time neste domingo, contra o São Paulo).

O empresário Eduardo Uram conduz as negociações em nome de Cuca. O treinador já manifestou seu desejo de chegar a um acordo e aguarda o desfecho das conversas sem atender a imprensa. Ele deve viajar a São Paulo na semana que vem para assinar o contrato válido até dezembro, quando acaba o mandato de Paulo Nobre e também o vínculo do diretor de futebol Alexandre Mattos com o Palmeiras.

O LANCE! ouviu de pessoas ligadas à diretoria do Verdão que os vencimentos do novo técnico não fugirão muito do patamar de Marcelo Oliveira, que ganhava R$ 400 mil mensais. Até dezembro, na China, Cuca recebia mais de R$ 1 milhão por mês.

A questão salarial já está praticamente resolvida entre Palmeiras e Cuca. Mesmo encarando o técnico como única opção para substituir Marcelo, o clube deixou claro que não faria “loucuras” financeiras, algo que foi bem aceito pelo estafe dele. O tempo de contrato também não foi um empecilho nas negociações, que já estão em seus detalhes finais.

O otimismo segue, tanto que a expectativa é de estreia quinta-feira, contra o Nacional (URU), no Uruguai.

O Verdão ainda pagará mais um mês de salário a Marcelo Oliveira, demitido na última quarta-feira. Esta é a multa rescisória que estava estipulada no contrato dele com o clube - só não receberá o valor se acertar com outro clube neste período.