icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
03/07/2013
09:18

O presidente do Palmeiras, Paulo Nobre, admitiu nessa terça-feira que não conseguiu diminuir a dívida que encontrou ao assumir o clube, no fim de janeiro. Segundo ele, o valor até aumentou.

- Praticamente não paguei nada, e a dívida aumentou um pouco. Não tem patrocinador novo, nem novas fontes de receita. A Meltex (parceria do time de basquete) é fonte nova de receitas, mas na verdade vamos deixar de ter o custo com o basquete. Está se desenvolvendo um trabalho para equacionar essa dívida. É uma divida grande - disse o mandatário, que não quis falar em valores.

Ele não quis confirmar sequer se a dívida é superior a R$ 100 milhões.

- Prefiro não falar em números, e R$ 100 milhões é um número.

De acordo com a coluna De Prima, membros do Conselho de Orientação e Fiscalização do Palmeiras afirmam que o presidente pegou recentemente um empréstimo de R$ 10 milhões, e repassou ao clube. Nobre já havia feito anteriormente uma operação similar, de R$ 1,5 milhão. Ele não confirma, mas garante que "os órgãos fiscalizadores estão 100% cientes de tudo o que está sendo feito".

No momento, há negociações pelo patrocinador principal - a camisa está "limpa" desde o fim do Paulistão, quando a Kia Motors saiu. O Palmeiras espera receber por volta de R$ 30 milhões por temporada.

- Está andando bem. As pessoas precisam entender que o orçamento das empresas fecha em setembro ou outubro para o ano seguinte. Estamos em junho discutindo patrocínio para essa temporada. Não é facil. Não vou deixar alguém patrocinar o clube por qualquer preço, porque aí cai o padrão. Acredito que se resolva a curto prazo - finalizou.

O presidente do Palmeiras, Paulo Nobre, admitiu nessa terça-feira que não conseguiu diminuir a dívida que encontrou ao assumir o clube, no fim de janeiro. Segundo ele, o valor até aumentou.

- Praticamente não paguei nada, e a dívida aumentou um pouco. Não tem patrocinador novo, nem novas fontes de receita. A Meltex (parceria do time de basquete) é fonte nova de receitas, mas na verdade vamos deixar de ter o custo com o basquete. Está se desenvolvendo um trabalho para equacionar essa dívida. É uma divida grande - disse o mandatário, que não quis falar em valores.

Ele não quis confirmar sequer se a dívida é superior a R$ 100 milhões.

- Prefiro não falar em números, e R$ 100 milhões é um número.

De acordo com a coluna De Prima, membros do Conselho de Orientação e Fiscalização do Palmeiras afirmam que o presidente pegou recentemente um empréstimo de R$ 10 milhões, e repassou ao clube. Nobre já havia feito anteriormente uma operação similar, de R$ 1,5 milhão. Ele não confirma, mas garante que "os órgãos fiscalizadores estão 100% cientes de tudo o que está sendo feito".

No momento, há negociações pelo patrocinador principal - a camisa está "limpa" desde o fim do Paulistão, quando a Kia Motors saiu. O Palmeiras espera receber por volta de R$ 30 milhões por temporada.

- Está andando bem. As pessoas precisam entender que o orçamento das empresas fecha em setembro ou outubro para o ano seguinte. Estamos em junho discutindo patrocínio para essa temporada. Não é facil. Não vou deixar alguém patrocinar o clube por qualquer preço, porque aí cai o padrão. Acredito que se resolva a curto prazo - finalizou.