Fellipe Lucena e Thiago Ferri
06/12/2016
07:55
São Paulo (SP)

O ano de 2016 já está marcado na história de Jailson. Aos 35 anos, o goleiro realizou o sonho de estrear em uma Série A de Brasileirão e ainda foi uma das principais figuras do título do Palmeiras, seu clube de coração. Mas não para por aí.

Já está praticamente definido que ele não será poupado do jogo contra o Vitória, domingo, no Barradão. O motivo não é a ausência de Fernando Prass, que tem viagem internacional marcada e será liberado com antecedência, mas a possibilidade de garantir prêmios individuais. Um deles é o do LANCE!.

Jailson é o goleiro com a melhor média de notas na competição (6,7), à frente do santista Vanderlei (6,4) e do flamenguista Alex Muralha (6,3), mas precisa disputar ao menos 50% dos jogos do torneio para entrar na seleção do diário. Como tem 18 partidas até agora, ele atingirá os 19 necessários no fim de semana. A mesma regra vale para a Bola de Prata, prêmio entregue pela ESPN Brasil.

Há ainda uma expectativa pelo prêmio entregue pela CBF. Além da possibilidade de brigar pelo posto de melhor goleiro, Jailson também sonha com o troféu de revelação. Sim, revelação aos 35 anos. O Palmeiras e o estafe do jogador sabem que ele recebeu vários votos de jornalistas nesta categoria, já que nunca havia disputado a Primeira Divisão.

A última conquista da temporada seria a renovação de contrato com o Palmeiras. Como o próprio Jailson já deixou claro o desejo de encerrar a carreira no Palestra Itália, as partes envolvidas na negociação consideram que o acordo será “natural”.

Marcelo Zanotti, empresário do jogador, diz que conversou brevemente sobre o assunto com Alexandre Mattos pouco depois de seu cliente assumir a condição de titular. Uma reunião deverá acontecer em breve, embora ainda não haja data – deve ser após a renovação de Mattos. Depois do bom desempenho no Brasileiro, o estafe de Jailson exigirá um bom aumento salarial, já que os vencimentos dele seguem no padrão de quando chegou do Ceará em 2014.


Intermediários queriam levá-lo ao São Paulo. Mas...

A busca do São Paulo por um goleiro e o fim do contrato de Jailson com o Palmeiras movimentaram o mercado do futebol no segundo semestre deste ano. O representante do jogador recebeu contatos de diferentes empresários dispostos a intermediar uma transferência. O próprio Jailson chegou a receber um telefonema em que o interlocutor questionava quanto ele estava disposto a ganhar no clube do Morumbi.

O assunto teve fim quando o empresário de Jailson entrou em contato direto com a diretoria são-paulina, que avisou que o alvo para a posição não era ele, mas Sidão, do Botafogo, que inclusive já tem acordo para defender a equipe no próximo ano.

Outros intermediários já procuraram o atleta em nome de outros clubes, mas nenhum com proposta.