Paulo Nobre (Foto: Reginaldo Castro/ LANCE!Press)

Paulo Nobre assumiu o Palmeiras 'falido' em 2013 (Foto: Reginaldo Castro/ LANCE!Press)

LANCE!
08/01/2016
08:34
São Paulo (SP)

Paulo Nobre nega que tenha feito proposta por Lucas Lima, mas viu Modesto Roma Júnior, presidente do Santos, ameaçar processar o clube do Palestra Itália por aliciamento. De acordo com o presidente do Palmeiras, o clube está pagando por ter "se arrumado" financeiramente e agora ter "fama de milionário" no mercado.

- O Palmeiras está com fama no mercado, de time milionário, que compra quem quiser. Isso não é verdade - disse o mandatário, em entrevista à Rádio Jovem Pan.

- Todos os empresários se interessam pelo Palmeiras. Falam que "o Palmeiras se interessou pelo meu jogador" para dar status ao seu atleta - completou.

Nobre costuma dizer que "fez a lição de casa" em seus dois primeiros anos na presidência. Em 2013, ano em que o clube disputou a Série B, ele administrou o clube com 70% das receitas comprometidas por adiantamentos e dívidas deixadas por gestões anteriores. Em 2014, temporada em que o clube quase caiu para a Série B, 30% da receita estavam inutilizáveis.

- Fizemos um trabalho duro em 2013 e 2014 e apanhamos demais. Mas era fundamental fazer o dever de casa. O Palmeiras estava falido em 2013, na Segunda Divisão, quase uma chacota. Mas se arrumou. Fizemos um time pegando quem ninguém queria, como o Alan Kardec, que estava encostado e juntando pó em Portugal. Ele quase chegou à Seleção, não por causa do Palmeiras, mas porque ele era bom mesmo. Aconteceu com outros, como o Marcelo Oliveira, que não era aproveitado no Cruzeiro, jogou dois anos no Palmeiras e foi para o Grêmio ganhar mais - disse Nobre.

- Hoje é o Palmeiras. Antes, eram outros os protagonistas. Agora fica sobrando para a gente. Não fui atrás do Lucas Lima, empresário gosta de levar jogar de um clube para outro, porque ganha a cada transferência.