Campeonato Paulista - Palmeiras x Red Bull Brasil (foto:Eduardo Viana/LANCE!Press)

Vitor Hugo, Lucas, Dracena e Prass lamentam um dos inúmeros gols sofridos (foto:Eduardo Viana/LANCE!Press)

Fellipe Lucena
30/03/2016
09:15
São Paulo (SP)

Dos 14 gols marcados pelo Água Santa no Campeonato Paulista, o Palmeiras sofreu quatro. Antes da goleada do último domingo, só o Capivariano havia levado quatro gols do time de Diadema. Fatos que evidenciam a fragilidade da defesa alviverde, a pior entre os quatro grandes paulistas em 2016.

- Qualquer solução que tiver a gente tem que colocar em prática. Primeiro a gente tem que parar de tomar gol. Para fazer é uma dificuldade muito grande, para tomar parece fácil - disse Edu Dracena, que levou o terceiro amarelo e não poderá enfrentar o Rio Claro, nesta quinta-feira, às 20h30, no Pacaembu.

Roger Carvalho, seu companheiro de zaga no vexame do fim de semana, também não jogará. Cuca promoverá o retorno de Vitor Hugo, recuperado de uma pancada na cabeça, e do garoto Thiago Martins – pelo menos essa foi a dupla testada no treino desta terça-feira, em Atibaia (SP).

Está aí mais um sintoma da crise defensiva: em 19 jogos no ano, contando amistosos, Paulistão e Libertadores, o Verdão levou 21 gols (1,1 por jogo) e utilizou seis duplas diferentes. Thiago Martins e Vitor Hugo jogarão juntos pela quinta vez, igualando Roger Carvalho e Vitor Hugo como dupla mais frequente.

Os três maiores rivais do Palmeiras têm média inferior a um gol por jogo neste ano: o Corinthians sofreu só 12 gols nos mesmos 19 jogos, o São Paulo foi vazado 15 vezes em 18 partidas e o Santos tomou 11 em 13 jogos.

Um dos maiores problemas, sem dúvidas, é a marcação em jogadas de escanteio. O time tomou gols dessa forma duas vezes com Marcelo Oliveira, contra São Bento e River Plate (URU), e outras três com Cuca, uma diante do Red Bull e duas contra o Água Santa. Neste último jogo, o técnico deixou claro que seus esforços têm sido em vão por enquanto.

- A gente tem marcação individual, tomamos um gol contra o Red Bull e outro contra o Água Santa por marcar errado. Mudamos a marcação no intervalo, marcamos por zona, e acabamos fazendo gol contra (de Roger Carvalho) - disse Cuca, sem conseguir explicar o que seu antecessor chamava de gols "doados".

Mas não são só as bolas paradas que aterrorizam. Nas quatro derrotas com Cuca, o time levou gols com pane geral, com Thiago Galhardo (Red Bull) e Bruninho (Água Santa), e em falhas de marcação pela direita, com Camacho (Audax) e Everaldo (Água Santa). Completam a lista um gol de cabeça de López, do Nacional, aproveitando que Zé Roberto ficou olhando a bola em um cruzamento, e um de pênalti de Velicka, do Audax.

TODOS OS 21 GOLS SOFRIDOS EM 2016

São Bento - Primeiro, Lucas e Thiago Santos marcaram o mesmo rival em escanteio e Éder fez. Leandro Almeida errou na saída e deu o segundo a Morais.

Linense - Pottker fez dois gols recebendo lançamentos nas costas de Vitor Hugo. No primeiro, ele se soltou da marcação de Allione.

River Plate (URU) - Michael Santos marcou o primeiro de pênalti. O segundo veio de um escanteio: Alecsandro não cortou e Jean deixou Montelongo cabecear.

XV de Piracicaba - Rivaldinho bateu de longe e contou com desvio para marcar.

Ferroviária - Fernando Gabriel fez de falta e Rafinha aproveitou indecisão de Vitor Hugo e Zé Roberto para receber livre e marcar.

Capivariano - Egídio ficou olhando Rodolfo invadir a área, receber a fazer.

Nacional (URU) - No Allianz: López, se antecipando a Vitor Hugo, e Barcia, aproveitando a defesa em linha. No Uruguai, Zé olhou a bola e deixou López concluir.

Audax - Velicka fez de pênalti. Camacho passou na corrida por Arouca e João Pedro para marcar.

Red Bull - Thiago Galhardo fez o primeiro em contra-ataque e Roger o segundo após escanteio. Arouca permitiu o cabeceio.

Água Santa - Dois após escanteios: Gustavo se antecipando a Dracena, e Roger Carvalho, contra. Everaldo, deixou Lucas para trás, e Bruninho, com a defesa em linha, completaram.

TODAS AS DUPLAS DE ZAGA

Edu Dracena e Leandro Almeida
Jogaram amistosos contra Libertad (vitória por 2 a 0) e Nacional (0 a 0). Dupla invicta.

Palmeiras x São Bento
Leandro Almeida contra o São Bento  (foto:Marcello Zambrana/AGIF)

Leandro Almeida e Vitor Hugo
Estrearam bem no Paulista, vencendo o Botafogo (2 a 0), e empataram com o São Bento (2 a 2). Leandro Almeida falhou feio e não voltou mais ao time.

Roger Carvalho e Vitor Hugo
Dupla que mais jogou: três empates (Oeste, River uruguaio e Santos), uma vitória (XV de Piracicaba) e uma derrota (Ferroviária). Sofreram cinco gols.

Palmeiras x Rosario Central
Palmeiras 2 x 0 Rosario (Foto: Mauro Horita/Lancepress!)

Thiago Martins e Vitor Hugo
Formaram a zaga quatro vezes: duas derrotas (Linense e Nacional, em casa) e duas vitórias (Rosario e Capivariano). Cinco gols sofridos.

Edu Dracena e Vitor Hugo
Considerada a dupla ideal, estreou na vitória por 2 a 0 sobre o São Paulo e foi mantida nos três primeiros jogos com Cuca: derrotas para Nacional, Audax e Red Bull. Cinco gols sofridos.

Edu Dracena e Roger Carvalho
Jogaram juntos só na goleada por 4 a 1 do Água Santa.