HOME - Palmeiras x Cruzeiro - Campeonato Brasileiro - Marcelo Oliveira (Foto: Daniel Vorley/AGIF/LANCE!Press)

Marcelo Oliveira está pressionado após cinco jogos sem vencer (Foto: Daniel Vorley/AGIF/LANCE!Press)

Fellipe Lucena
22/02/2016
08:00
São Paulo (SP)

Marcelo Oliveira tem por filosofia repetir o time titular sempre que possível, desde que o desempenho seja satisfatório. Mas, no instável Palmeiras de 2016, ele escalou oito equipes diferentes em oito jogos e agora tem feito mudanças de acordo com o adversário para encontrar a forma ideal de atuar.

- Precisamos entrosar uma engrenagem. O grupo é de boa qualidade, não tenho uma queixa em relação a comprometimento, mas não conseguimos encaixar um time. Isso às vezes é rápido, às vezes demora. Precisamos quebrar a ansiedade com um grande jogo - disse Marcelo.

A estreia da Libertadores deixou claro que o Verdão passou a ser armado com base no que o oponente tem a apresentar. Foi contra o River Plate (URU) que o técnico abriu mão do 4-2-3-1, esquema que o consagrou no Cruzeiro, para escalar três volantes.

A ideia foi motivada não só pela ineficiência da equipe nos jogos anteriores, mas também porque o time uruguaio abusa das ligações diretas e povoa pouco o meio de campo. Com Thiago Santos mais preso e Jean e Arouca livres para ajudar a armar, Marcelo conseguiu controlar a bola e dominar o meio, mas a velocidade de Erik e Dudu não bastou para servir Lucas Barrios com eficiência no empate em 2 a 2, no Uruguai.

Contra o Santos, Matheus Sales tomou a vaga de Arouca por ter chegada mais forte à frente. O técnico orientou o jovem a aproveitar que Thiago Maia se lança ao ataque para aparecer perto da área, algo que Arouca não fez com tanta desenvoltura na partida anterior. Não adiantou muito, mas ter Robinho no lugar de Erik ajudou a equipe a tocar mais a bola em vez de apostar sempre em arrancadas.

- A ideia era que ele chegasse mais dentro da área, no treino fechado incentivamos muito isso. Acho que ele não teve muitas oportunidades, foi bem marcado, mas é muito útil - contou o comandante.

Veja os oito times do Verdão em 2016:

Palmeiras 2 x 0 Libertad (PAR) - Copa Antel

Fernando Prass, Lucas, Edu Dracena, Leandro Almeida e Zé Roberto; Arouca e Matheus Sales; Robinho, Dudu e Gabriel Jesus; Alecsandro.

Nacional (URU) 0 x 0 Palmeiras - Copa Antel
Fernando Prass, Lucas, Edu Dracena e Zé Roberto; Arouca e Moisés; Robinho, Dudu e Erik; Alecsandro.

Botafogo-SP 0 x 2 Palmeiras - Paulistão

Fernando Prass, Lucas, Leandro Almeida, Vitor Hugo e Zé Roberto; Thiago Santos e Arouca; Robinho, Dudu e Gabriel Jesus; Alecsandro.

Palmeiras 2 x 2 São Bento - Paulistão
Fernando Prass, Lucas, Leandro Almeida, Vitor Hugo e Egídio; Thiago Santos e Jean; Robinho, Dudu e Gabriel Jesus; Barrios.

Oeste 0 x 0 Palmeiras - Paulistão
Fernando Prass, Lucas, Roger Carvalho, Vitor Hugo e Zé Roberto; Arouca e Jean; Robinho, Dudu e Gabriel Jesus; Barrios.

Palmeiras 1 x 2 Linense - Paulistão
Fernando Prass, João Pedro, Thiago Martins, Vitor Hugo, Egídio; Thiago Santos e Matheus Sales; Rafael Marques, Moisés e Allione; Alecsandro.

River Plate (URU) 2 x 2 Palmeiras - Libertadores
Fernando Prass, Lucas, Roger Carvalho, Vitor Hugo e Zé Roberto; Thiago Santos, Arouca e Jean; Dudu, Erik e Barrios.

Palmeiras 0 x 0 Santos - Paulistão
Fernando Prass, Lucas, Roger Carvalho, Vitor Hugo e Zé Roberto; Thiago Santos, Matheus Sales, Jean e Robinho; Dudu e Alecsandro.