icons.title signature.placeholder Enviado Especial
icons.title signature.placeholder Enviado Especial
26/08/2015
08:00

Cléber Américo da Conceição conhece bem a Copa do Brasil. Venceu em 1998 pelo Palmeiras, clube em que tornou-se um ídolo, e dois anos depois, pelo Cruzeiro. Mineiro, o ex-zagueiro disse que estará dividido quando as equipes entrarem em campo nesta quarta-feira, às 22h, no Mineirão, decidindo qual vai às quartas da competição.

Só que apesar dos bons momentos na Raposa, o Verdão faz parte de sua família. É por isso que, mesmo balançado, ele torcerá para que o time ao menos empate e assim avance no dia em que faz 101 anos.

– Tive uma passagem que não foi longa, mas foi muito boa pelo Cruzeiro. Mas no Palmeiras nem se fala, pelo carinho da torcida e o carinho que eu tenho pelo clube. Torço para o Palmeiras dar sequência na Copa do Brasil – afirmou.

Atleta alviverde entre 1993 e 1999, Cléber vê a Libertadores-1999 como sua maior conquista. A Copa do Brasil no ano anterior, porém, foi o que embalou aquele time.

O agora torcedor palmeirense espera ver o mesmo neste ano. Animado com as perspectivas para 2016, Clebão considera que vencer a Copa do Brasil pode gerar um clima semelhante ao de 98 no clube.

– Acho que a partir de 2016 o Palmeiras vai colher grandes frutos, até este ano, com títulos ou Libertadores. (Ser campeão é) Um passo grande para em 2016 consolidar o trabalho feito, e aí os atletas já se conhecem, sabem mais da história do clube. Eles também começam a querer entrar para a história do clube, e passa também pelo comando do Marcelo, que vai conhecer mais atletas – justificou.

Em 1999, Palmeiras e Cruzeiro também se enfrentaram em 26 de agosto, pela Copa do Mercosul, e ficaram no empate em 2 a 2. Se a história se repetir, a torcida alviverde e Cléber já podem começar a pensar na próxima fase do torneio.


Cléber, ex-zagueiro do Palmeiras, hoje mora em Belo Horizonte (Foto: Thiago Ferri)

COPA DO BRASIL–98 x COPA DO BRASIL–2015

Há 17 anos...
Comandado por Luiz Felipe Scolari, o Verdão fez 12 jogos naquela campanha: foram seis vitórias, quatro empates e duas derrotas. CSA–AL, Ceará, Botafogo, Sport e Santos foram os adversários até a decisão contra o Cruzeiro. No Mineirão, a Raposa venceu, por 1 a 0. No Morumbi, o Palmeiras fez 2 a 0, com o gol sem ângulo de Oséas, aos 44 do segundo tempo.

E hoje
Até agora, o Palmeiras despachou o Vitória da Conquista, Sampaio Corrêa e ASA–AL. Graças à vitória por 2 a 1 sobre o Cruzeiro, no Allianz Parque, o Verdão avança com um empate no Mineirão. Se o time de Luxemburgo fizer 1 a 0, passa graças ao gol fora de casa. Caso a Raposa devolva o 2 a 1, os times vão decidir a classificação para as quartas nos pênaltis.

CONFIRA UM BATE-BOLA COM CLÉBER, EX-ZAGUEIRO DO PALMEIRAS, AO LANCE!

Ainda vê jogos do Palmeiras?
Sempre acompanho, pelo carinho, por aquilo que o Palmeiras me proporcionou. Uma das minhas filhas é palmeirense fanática, já foi comigo no Allianz Parque... Não tem como. Está na família. E eu assisto a praticamente todos os jogos, ainda mais com esse estádio, a torcida que abraçou o time independente do resultado, o projeto da diretoria. É um clube diferenciado.

E como é o Cléber torcedor?
Sou mais tranquilo. É interessante, porque conheço o clube, a torcida, o ambiente, e sempre volta um filme quando vejo os jogos. Um filme muito gostoso, porque deixamos nosso legado. Minha filha sofre mais (risos). É mais nova, adolescente, mais empolgada. Mas é gostoso ver o Allianz Parque lotado, a torcida cantando o hino. É maravilhoso.

O que é preciso fazer para ganhar a Copa do Brasil?
É uma competição diferente do Brasileiro e Estadual, um pouco parecida com Libertadores, pois são jogos de 180 minutos, de mata-mata, em que a equipe precisa estar muito bem fisicamente, tecnicamente, porque é um jogo que exige mais.

Qual a importância do título de 1998 para a Libertadores de 1999?
A formação da equipe. O Scolari começou a formar o grupo no Brasileiro de 1997, passou pela Copa do Brasil em 1998, para buscar as peças ideais do time de 1999.

Está confiante mesmo com as oscilações que o time tem?
A equipe oscila justamente pelo fato de ter contratado muitos jogadores, de qualidade, mas leva um tempo para alcançar o entrosamento ideal. Ano que vem esta equipe vai manter estes atletas que estão, podem chegar outros jogadores. O Palmeiras tem um grande time, condições de brigar pelo título, além de um grande treinador.

A conquista este ano pode ter a mesma importância que a de 98?
Sim, com certeza. A equipe ganha muita moral, respeito. As outras equipes vão para o Allianz Parque já com mais respeito do que em 2014. Sabem que tem uma história por trás, e que estão jogando contra um dos maiores times do futebol brasileiro.


Cléber Américo da Conceição conhece bem a Copa do Brasil. Venceu em 1998 pelo Palmeiras, clube em que tornou-se um ídolo, e dois anos depois, pelo Cruzeiro. Mineiro, o ex-zagueiro disse que estará dividido quando as equipes entrarem em campo nesta quarta-feira, às 22h, no Mineirão, decidindo qual vai às quartas da competição.

Só que apesar dos bons momentos na Raposa, o Verdão faz parte de sua família. É por isso que, mesmo balançado, ele torcerá para que o time ao menos empate e assim avance no dia em que faz 101 anos.

– Tive uma passagem que não foi longa, mas foi muito boa pelo Cruzeiro. Mas no Palmeiras nem se fala, pelo carinho da torcida e o carinho que eu tenho pelo clube. Torço para o Palmeiras dar sequência na Copa do Brasil – afirmou.

Atleta alviverde entre 1993 e 1999, Cléber vê a Libertadores-1999 como sua maior conquista. A Copa do Brasil no ano anterior, porém, foi o que embalou aquele time.

O agora torcedor palmeirense espera ver o mesmo neste ano. Animado com as perspectivas para 2016, Clebão considera que vencer a Copa do Brasil pode gerar um clima semelhante ao de 98 no clube.

– Acho que a partir de 2016 o Palmeiras vai colher grandes frutos, até este ano, com títulos ou Libertadores. (Ser campeão é) Um passo grande para em 2016 consolidar o trabalho feito, e aí os atletas já se conhecem, sabem mais da história do clube. Eles também começam a querer entrar para a história do clube, e passa também pelo comando do Marcelo, que vai conhecer mais atletas – justificou.

Em 1999, Palmeiras e Cruzeiro também se enfrentaram em 26 de agosto, pela Copa do Mercosul, e ficaram no empate em 2 a 2. Se a história se repetir, a torcida alviverde e Cléber já podem começar a pensar na próxima fase do torneio.


Cléber, ex-zagueiro do Palmeiras, hoje mora em Belo Horizonte (Foto: Thiago Ferri)

COPA DO BRASIL–98 x COPA DO BRASIL–2015

Há 17 anos...
Comandado por Luiz Felipe Scolari, o Verdão fez 12 jogos naquela campanha: foram seis vitórias, quatro empates e duas derrotas. CSA–AL, Ceará, Botafogo, Sport e Santos foram os adversários até a decisão contra o Cruzeiro. No Mineirão, a Raposa venceu, por 1 a 0. No Morumbi, o Palmeiras fez 2 a 0, com o gol sem ângulo de Oséas, aos 44 do segundo tempo.

E hoje
Até agora, o Palmeiras despachou o Vitória da Conquista, Sampaio Corrêa e ASA–AL. Graças à vitória por 2 a 1 sobre o Cruzeiro, no Allianz Parque, o Verdão avança com um empate no Mineirão. Se o time de Luxemburgo fizer 1 a 0, passa graças ao gol fora de casa. Caso a Raposa devolva o 2 a 1, os times vão decidir a classificação para as quartas nos pênaltis.

CONFIRA UM BATE-BOLA COM CLÉBER, EX-ZAGUEIRO DO PALMEIRAS, AO LANCE!

Ainda vê jogos do Palmeiras?
Sempre acompanho, pelo carinho, por aquilo que o Palmeiras me proporcionou. Uma das minhas filhas é palmeirense fanática, já foi comigo no Allianz Parque... Não tem como. Está na família. E eu assisto a praticamente todos os jogos, ainda mais com esse estádio, a torcida que abraçou o time independente do resultado, o projeto da diretoria. É um clube diferenciado.

E como é o Cléber torcedor?
Sou mais tranquilo. É interessante, porque conheço o clube, a torcida, o ambiente, e sempre volta um filme quando vejo os jogos. Um filme muito gostoso, porque deixamos nosso legado. Minha filha sofre mais (risos). É mais nova, adolescente, mais empolgada. Mas é gostoso ver o Allianz Parque lotado, a torcida cantando o hino. É maravilhoso.

O que é preciso fazer para ganhar a Copa do Brasil?
É uma competição diferente do Brasileiro e Estadual, um pouco parecida com Libertadores, pois são jogos de 180 minutos, de mata-mata, em que a equipe precisa estar muito bem fisicamente, tecnicamente, porque é um jogo que exige mais.

Qual a importância do título de 1998 para a Libertadores de 1999?
A formação da equipe. O Scolari começou a formar o grupo no Brasileiro de 1997, passou pela Copa do Brasil em 1998, para buscar as peças ideais do time de 1999.

Está confiante mesmo com as oscilações que o time tem?
A equipe oscila justamente pelo fato de ter contratado muitos jogadores, de qualidade, mas leva um tempo para alcançar o entrosamento ideal. Ano que vem esta equipe vai manter estes atletas que estão, podem chegar outros jogadores. O Palmeiras tem um grande time, condições de brigar pelo título, além de um grande treinador.

A conquista este ano pode ter a mesma importância que a de 98?
Sim, com certeza. A equipe ganha muita moral, respeito. As outras equipes vão para o Allianz Parque já com mais respeito do que em 2014. Sabem que tem uma história por trás, e que estão jogando contra um dos maiores times do futebol brasileiro.