LANCE!
10/06/2016
18:04
São Paulo (SP)

Cuca tranquilizou a torcida do Palmeiras na tarde desta sexta-feira ao dizer que Gabriel Jesus não deixará o clube neste ano. E o técnico foi além: disse ter sido informado pela diretoria de que nenhum outro atleta será negociado, o que inclui o argentino Cristaldo, que não vem sendo relacionado porque cogitava aceitar uma proposta do México, mas mudou de ideia.

- Eu vou falar o que eu ouvi aqui dentro: esse ano a gente não perde ninguém. Então estou tranquilo. Pronto, falo até para o torcedor do Palmeiras - disse Cuca, antes de dar sua opinião especificamente sobre Jesus:

- Momento de sair a gente nunca sabe se é ou não. A vida do futebolista, às vezes, é ingrata. Às vezes você não sai, tem uma lesão e perde a chance. Todos com 19 anos poderiam e deviam ficar mais, mas como você faz para lutar com 24, 30 milhões de euros, sendo que o jogador não é só teu? Uma parte é do Palmeiras, outra do agente, outra do outro. Esses caras não pensam no Palmeiras, ele pensa no negócio. Não é um caso só do clube, tem outros fatores. Mas esse ano, não - acrescentou.

O Palmeiras, que diz não ter recebido proposta oficial pela joia de 18 anos, mantém a postura de só liberá-lo pelo valor da multa (40 milhões de euros ou R$ 158 milhões), mesmo tendo somente 30% dos direitos econômicos do atleta. O próprio Gabriel Jesus é dono de 15%, enquanto o empresário Cristiano Simões tem 32,5% e os demais 22,5% pertencem a Fábio Caran, ex-agente dele. Uma cláusula no contrato da joia dá "desconto" para cinco clubes. Para Manchester United, Barcelona, Real Madrid, Bayern de Munique e Paris Saint-Germain a multa é de 24 milhões de euros (R$ 95 milhões). 

Sobre Cristaldo, que ainda não foi utilizado pela atual comissão técnica, Cuca deixou claro que o período de indecisão foi muito mais do jogador do que do clube - até porque a negociação não chegou até o Palmeiras, que não recebeu uma oferta formal para vendê-lo.

- O Cristaldo deu uma pensada em sair, em buscar outros ares, é uma coisa particular dele. Eu respeitei isso, só que me parece que as coisas mudaram, ele quer ficar, quer lutar por vaga. Ele tem que recuperar o tempo perdido, a confiança. É hora dele trabalhar firme e forte. Não adianta ir para o banco e perder um sábado e um domingo de treino. É melhor ele trabalhar para estar em condição de nos ajudar semana que vem se o Alecsandro for punido pelo doping - concluiu o técnico.