William Correia
22/09/2017
17:49
São Paulo (SP)

Fernando Prass; Mayke, Edu Dracena, Juninho e Egídio; Tchê Tchê, Jean, Moisés e Dudu; Willian e Deyverson. Este será o Palmeiras que enfrentará o Fluminense, no domingo, no Maracanã. Mesmo comandando treinos fechados e ainda tendo um trabalho para fazer no sábado, Cuca não tem mais dúvidas.

Nesta sexta-feira, a imprensa pôde entrar na Academia de Futebol quando já tinha passado cerca de uma hora de treino. Mas foi possível ver exatamente essa formação na movimentação tática. Logo depois, o treinador concedeu entrevista coletiva, indicando que usará este time.

- Joga o Juninho. É quarto-zagueiro, se adapta melhor ao Edu Dracena e, pelo jogo que fez na segunda, vai ele. Temos confiança igual a Luan e Antonio Carlos, que vão lutar, assim como Juninho e Edu lutam para continuar no time. Como falei para eles - disse Cuca, que mantém a zaga que atuou na vitória sobre o Coritiba, na segunda-feira, mesmo com Luan voltando de suspensão.

O técnico mantém quase a mesma equipe da partida de segunda-feira. A única novidade é Willian, que cumpriu gancho, na vaga de Keno. O meia Guerra segue no banco de reservas.

- O Willian é importantíssimo e será aproveitado. Saiu porque foi expulso. É artilheiro, tem senso de competitividade e é inteligente. Volta naturalmente. Volta na ambição que temos de chegar entre os primeiros colocados - explicou Cuca, já temeroso pela possibilidade de Willian pegar suspensão de quatro a 12 jogos em julgamento na quarta-feira, pela expulsão contra o Atlético-MG.

- Ele reagiu a uma solada forte do Valdivia, quase que instantâneo, quase igual martilho que bate no joelho e faz tum, já levou. Levou uma pezada e deu um chute no saco do cara. Mas pediu desculpa. Passou, é um guri bom. E não foi aquela coisa, só efeito moral, pum. Mas deve ter doído, pela região que foi.