Barrios

Barrios está em transição entre a parte física e técnica na Academia de Futebol (Foto: Cesar Greco)

Fellipe Lucena e Thiago Ferri
04/11/2016
07:10
São Paulo (SP)

Era para ser o ano de Lucas Barrios no Palmeiras, mas 2016 vai chegando ao fim carregado de altos e baixos para o atacante paraguaio. Ele não conseguiu pegar ritmo de jogo e tem só mais cinco partidas para tentar terminar a temporada em alta, mas ainda é dúvida para enfrentar o Internacional, às 17h de domingo, no Allianz.

A falta de ritmo fez com que o camisa 8 sentisse muito os efeitos de ter sido titular em dois jogos consecutivos, contra Grêmio, pela Copa do Brasil, e Sport, pelo Brasileiro. Com um edema muscular, ele acabou vetado do duelo contra o Santos, no domingo passado, justamente no momento em que começava a convencer Cuca e enfim poderia ter uma sequência no time.

O problema muscular, dessa vez, foi leve. Tanto que o centroavante mostra evolução dia após dia nos trabalhos na Academia. Ele está liberado pelos médicos e trabalha para aprimorar a forma física antes de retomar os treinos com bola. Se isso acontecer nesta sexta, é possível que ele seja relacionado.

O problema é que, a cada problema físico, Barrios perde espaço para os concorrentes. Se antes estava prestes a se consolidar como substituto imediato de Gabriel Jesus, ele voltou a estar atrás de Leandro Pereira caso Cuca opte por adicionar um centroavante à equipe.

No fim do ano passado, Barrios encerrou uma maratona de dois anos sem tirar férias, com 72 jogos e 24 gols por três clubes diferentes e pela seleção paraguaia. Ele sempre admitiu que a falta de descanso prejudicava e esperava deslanchar de vez em 2016. Com 22 jogos e quatro gols, ainda não conseguiu.

OS ALTOS E BAIXOS DE BARRIOS

Promissor: Atacante teve ótimo desempenho na reta final da Copa do Brasil, com dois gols diante do Fluminense, na semi, e atuação brilhante no segundo jogo contra o Santos. As expectativas para 2017 eram as melhores possíveis.

Mau sinal: Barrios foi muito bem nos treinos da pré-temporada, mas ficou fora do torneio amistoso no Uruguai para fazer fortalecimento e também perdeu a rodada inicial do Paulista devido a uma inflamação nas costas.

Problema: Uma distensão muscular comprometeu praticamente toda a primeira fase do Paulistão para o camisa 8, além da Libertadores. Ele voltou bem no início da passagem de Cuca, com gols contra Audax e Rosario.

Frustração: Atacante abriu mão da convocação para a Copa América e foi titular na rodada inicial do Campeonato Brasileiro, mas sofreu uma lesão na panturrilha na semana seguinte e voltou para o departamento médico.

Atrito e reação: Mesmo recuperado, Barrios demorou a ser relacionado por Cuca e chamou o técnico para uma conversa, que acabou seguida de troca de farpas em público. Atacante ameaçou reagir ao entrar e marcar gol contra o Vitória, no Brasileiro.

Outra frustração: Minutos depois do gol, Barrios sofreu lesão na coxa no jogo
contra o Vitória e teve, mais uma vez, arrancada interrompida. Na época, Gabriel Jesus estava na Olimpíada.

De novo: Barrios foi bem contra o Grêmio, na Copa do Brasil, quando Cuca escalou reservas e foi escolhido por Cuca para substituir o suspenso Jesus contra o Sport. Seria titular diante do Santos, mas acabou cortado por edema.