HOME - Entrevista coletiva no Palmeiras - Lucas Barrios (Foto: Daniel Vorley/AGIF/LANCE!Press)

Barrios quer concentração total na decisão desta quarta (Foto: Daniel Vorley/AGIF/LANCE!Press)

Fellipe Lucena e Thiago Ferri
01/12/2015
08:00
São Paulo (SP)

Lucas Barrios entrou para a história do Colo-Colo (CHI), do Borussia Dortmund (ALE) e do Guangzhou Evergrande (CHN) com conquistas nacionais. Chegou a hora do Palmeiras, clube que coleciona esse tipo de taça. Na última segunda, o paraguaio avisou que está com saudade de ser campeão - seus últimos títulos foram em 2012, ainda na China - e que sonha em marcar um gol na decisão da Copa do Brasil, nesta quarta, contra o Santos.

- Obviamente, eu gostaria muito de fazer um gol em uma final tão importante. Se formos campeões, vamos diretamente para a Libertadores, é um sonho que eu tenho jogá-la novamente. Mas qualquer jogador que faça o gol será muito bom - disse o camisa 8 do Verdão.

Não seria o primeiro gol importante de Barrios. Em sua curta trajetória no Palmeiras, com só 20 jogos, ele já balançou a rede nas oitavas (um gol no jogo de volta contra o Cruzeiro, no Mineirão) e na semi da Copa do Brasil (dois gols no jogo de volta contra o Fluminense, em casa).


No título chileno do Colo-Colo, em 2008, foi o goleador do torneio. No primeiro de seus dois títulos alemães com o Borussia, o que encerrou um jejum de nove anos do clube, abriu o caminho para a vitória por 2 a 0 no jogo do título, contra o Nuremberg. Na Copa da China de 2012, anotou nos dois jogos da final.

- Tenho vários gols importantes. Esse seria um dos maiores – disse.

Um dos atletas mais experientes do elenco, com 31 anos, Barrios deu a receita para não perder o título: focar apenas na partida decisiva, deixando para trás assuntos que têm sido frequentes na Academia de Futebol: o pênalti sofrido por ele próprio e ignorado pela arbitragem no jogo da Vila Belmiro e o suposto favoritismo dado ao adversário pela imprensa.

- Saí um pouco enojado do jogo, porque houve uma confusão. Aproveito para pedir desculpas. Mas também é preciso saber que em uma final os erros custam muito. Não só para o árbitro, mas para os jogadores. Creio que foi pênalti, muito claro, todo mundo viu. Se você errou, tem que dizer que errou, e não dizer que não foi pênalti. O que se escutou é que a confederação falou que não foi. É a última vez que falamos do árbitro,  é a última vez que podemos pensar que ele se equivocou. O jogo em Santos acabou. É pensar em vencer.

- Já vi algumas coisas de que o Santos já é campeão. Desde as quartas, ouvia que o Palmeiras ficaria fora. E estamos na final. Dizem que o Santos é favorito. E o Palmeiras? Por que não? É hora de nos preocupar com que vamos fazer em campo. Pessoalmente, gostaria de ser campeão, faz tempo que não ganho campeonato. Creio que a equipe toda deseja, diretoria e comissão técnica também - completou.