Campeonato Paulista - Aguá Santa x Palmeiras (foto:Cesar Greco/Palmeiras)

Edu Dracena na marcação de Everaldo, autor de um dos gols anotados pelo Água Santa (foto:Cesar Greco/Palmeiras)

LANCE!
27/03/2016
19:45
São Paulo (SP)

Capitão do time na derrota por 4 a 1 para o Água Santa, em Presidente Prudente, o zagueiro Edu Dracena, entre outras explicações na saída do gramado, lamentou a ida de torcedores da Mancha Verde, organizada do Palmeiras, ao Centro de Treinamento do clube no último sábado.

- Infelizmente no futebol isso está virando rotineiro, não só no Palmeiras. Isso não é o caminho, o caminho é o diálogo, trabalhar, somos profissionais, pais de família. Ninguém gosta de perder, imagine a cara que vou olhar para o meu filho agora - declarou.

Segundo a versão da organizada, não houve invasão do CT e considerou a conversa com o elenco como produtiva, já de acordo com as palavras do clube, os torcedores invadiram o ambiente de trabalho dos atletas e atrapalhou as atividades.

No entanto, o camisa 3 palmeirense não deixou de chamar a atenção do grupo e também rechaçou dar mais explicações após nova derrota do time sob o comando do técnico Cuca:

- Os jogadores que estão no Palmeiras têm de saber lidar. Não adianta ficar dando explicação. Faz quatro jogos que a gente está dando explicação e não consegue fazer em campo o que a gente conversa no vestiário - disse.

Ao ser questionado se sentia alguma vergonha pelo momento que o time passa, Dracena foi enfático ao negar tal sentimento, admitiu a intranquilidade do elenco, chamou a responsabilidade para os jogadores e cobrou melhora urgente:

- Eu não sinto vergonha, sinto tristeza, vergonha é muito forte, mas com certeza a gente está tentando, está lutando. A gente parece estar correndo na subida, parece que estamos com 100kg nas costas, a gente precisa ter tranquilidade neste momento, não pode desesperar. Temos que melhorar urgentemente, não temos mais tempo para lamentar e sim para sair dessas situação - finalizou.