Fellipe Lucena
29/05/2016
08:00
São Paulo (SP)

O grito de "Dudu guerreiro" não vai ecoar no Morumbi neste domingo. Por determinação da Secretaria de Segurança Pública, apenas a torcida do São Paulo poderá assistir ao Choque-Rei válido pela quarta rodada do Brasileirão, às 16h. Mas o camisa 7 do Verdão não se abala, diz que receberá energias positivas mesmo assim e cogita "tirar o chapéu" de novo. Ele conversou com o LANCE! após o treino da última quinta.

No último clássico que disputou, Dudu confirmou a fama de carrasco dos rivais e marcou o gol da vitória por 1 a 0 sobre o Corinthians. Na comemoração, tomou o boné de um repórter para provocar o adversário, que brigava com o São Paulo por sua contratação e levou um "chapéu" do Palmeiras no início do ano passado.

- Espero primeiro fazer o gol. Depois, se pintar a oportunidade e se for a hora certa, a gente vai fazer (a comemoração) - sorriu o atacante.

"Espero primeiro fazer o gol. Se pintar a oportunidade e se for a hora certa, a gente vai fazer", disse Dudu sobre tirar o chapéu

Naquele dia, Dudu ajudou o Palmeiras a quebrar um tabu de quase 21 anos sem vencer o Corinthians no Pacaembu. Agora a missão do Palmeiras é quebrar uma outra marca: a de não bater o São Paulo no Morumbi desde março de 2002.

- A gente vê isso também, faz muito tempo que o Palmeiras não ganha lá. Temos a oportunidade agora. Temos que concentrar bem, focar bem no jogo e quebrar esse tabu - disse o "reizinho" dos clássicos.

O "rei" dos clássicos é Rafael Marques, autor de sete gols contra os maiores rivais do Verdão, um a mais que Dudu. Santos, Corinthians e São Paulo já foram vítimas de ambos.

- Eu sempre acredito em mim, mas não esperava fazer tantos gols assim em clássicos. Estou muito feliz. Já tenho seis gols em clássicos, se não me engano. Espero ampliar isso aí para o Palmeiras sair com a vitória - admitiu Dudu, que soma três gols contra o Santos, dois contra o Corinthians e um contra o rival de hoje.

Mas e a pressão da torcida rival? O palmeirense diz que não se preocupa e revela emoção ao ouvir o refrão que o chama de guerreiro.

- É emocionante. Não é qualquer jogador que chega e ganha uma música da torcida, isso mostra o carinho que eles têm por mim. Espero retribuir todo esse carinho conquistando títulos. Tenho certeza que eles vão jogar energia positiva de onde estiverem - finalizou.

ELE SABE COMO É

Dudu sabe como o torcedor do Palmeiras vai se sentir por não poder ver de perto o clássico deste domingo. Vetado pelos médicos, o atacante assistiu à semifinal do Paulistão deste ano pela televisão e sofreu bastante.

- Foi um desespero danado, né? A gente conseguiu empatar, fez o mais difícil, mas perdeu nos pênaltis - disse ele, lembrando do empate por 2 a 2 que o Verdão conseguiu arrancar no fim do jogo na Vila Belmiro, seguido pelo revés nas penalidades.

- Eu já corto minha unha com o dente mesmo, então nem tinha muita unha para roer. Fiquei desesperado em casa, ainda mais quando a gente fez o segundo gol, que tinha a possibilidade de vencer nos pênaltis. Infelizmente não deu - disse.

Dudu lesionou a coxa direita em 24 de março e jogou no sacrifício contra Corinthians e São Bernardo. Ele gostaria de fazer o mesmo na Vila, mas os médicos vetaram.

- Queria ter ido para o jogo, mas os médicos acharam melhor eu segurar. Agora estou 100% recuperado, sem nenhuma dor. Espero continuar desse jeito, deixar esse negócio de lesão para lá. Espero que tenha sido a primeira e a última.

Confira um bate-bola exclusivo com Dudu:

LANCE!: Logo que você chegou aqui, a torcida do São Paulo dizia que "Dudu é moda, Centurión é f...". O que achou da brincadeira?
Dudu:
(risos) Nem gosto de falar disso, deixa para a torcida. Tenho que focar aqui no Palmeiras, fazer um grande jogo e conquistar a vitória. Fico mais ligado na nossa torcida. Tenho só que agradecer pelo carinho, tenho certeza que eles gostam muito de mim e sempre que entrar em campo vou defender essa camisa de corpo e alma.

"Quero deixar meu nome marcado nesse clube. Repito: se eles quiserem renovar comigo, renovaria numa boa", avisa Dudu

Você tem contrato até o fim de 2018 e já disse que renovaria por mais quatro anos se o Palmeiras quisesse. Pensa em voltar à Europa ou ficar aqui é o seu objetivo?
Ah, todo jogador pensa em ir para a Europa, jogar em grande clube, fazer a vida financeira, mas estou feliz aqui no Palmeiras. Espero continuar aqui por muito tempo, conquistar títulos e coisas boas com o clube. Quero deixar meu nome marcado nesse clube para ter sempre as portas abertas. Repito: se eles quiserem renovar comigo, renovaria numa boa. Sou muito feliz aqui, agradeço a Deus, à minha família e aos torcedores que sempre me apoiaram e me acolheram muito bem.

Pensa em Seleção? O Gabriel Jesus ficou na pré-lista da Copa América e no ano passado você se destacou tanto quanto ele ou mais.
Ah, acho que sim, né? O Palmeiras é um clube grande, tem excelentes jogadores. Todo jogador sonha em ir para a Seleção. Já fui convocado algumas vezes (na base) e tenho certeza que, se o trabalho for muito bem feito, aqui, a chance vai aparecer.

Você já jogou no Morumbi ano passado, então pode responder: qual é a maior dificuldade?
O São Paulo lá é muito forte, como a gente também é forte no nosso estádio. Eles imprimem uma velocidade muito boa, têm grandes jogadores. Que a gente neutralize.

DUDU EM CLÁSSICOS

Estreia
O primeiro clássico do camisa 7 não terminou bem para o Palmeiras: derrota por 1 a 0 para o Corinthians, no Allianz Parque. Ainda sem ritmo, ele entrou no segundo tempo na vaga de Maikon Leite.

Vai no cavalinho
Apesar de não ter feito gol, Dudu foi um dos melhores em campo na vitória por 3 a 0 sobre o São Paulo pelo Paulista-2015. Provocou a expulsão de Toloi e levou a torcida ao delírio ao andar "de cavalinho" em Edson Silva.

Festa em Itaquera
O atacante converteu seu pênalti na semifinal do Paulistão do ano passado e ajudou o Palmeiras a eliminar o Corinthians em Itaquera.

Piores momentos
Atacante perdeu um pênalti no jogo de ida da final do Paulistão, contra o Santos, e foi expulso por empurrar o árbitro Guilherme Ceretta na volta. Levou suspensão de seis meses, depois reduzida para seis jogos.

Começam os gols
O primeiro gol de Dudu em clássicos foi no empate por 3 a 3 com o Corinthians no Brasileirão do ano passado. No mesmo torneio, fez o gol do Verdão na derrota por 2 a 1 para o Santos, na Vila.

Virando herói
Dudu caiu de vez nas graças da torcida palmeirense ao marcar os dois gols do Palmeiras no jogo de volta contra o Santos, finalíssima da Copa do Brasil. O time foi campeão nos pênaltis.

Gol no São Paulo
Depois de marcar contra Corinthians e Santos, Dudu completou a trinca no Paulistão deste ano ao balançar as redes do São Paulo na vitória por 2 a 0 pelo Campeonato Paulista.

Tirou o chapéu
No Dérbi do Paulistão, entrou no sacrifício, fez o gol da vitória por 1 a 0 e comemorou tirando o chapéu para a torcida.