Campeonato Paulista - Botafogo-SP x Palmeiras

Defesa do Palmeiras tem feito um bom trabalho: não levou gols no ano (Foto: Célio Messias/Lancepress!)

Thiago Ferri
02/02/2016
08:10
São Paulo (SP)

Dor de cabeça durante todo o segundo semestre de 2015, a defesa do Palmeiras começou a temporada de forma animadora. Nos três jogos disputados em 2016, Fernando Prass não foi vazado, e na quinta, contra o São Bento, o time pode igualar sua melhor marca com Marcelo Oliveira.

Com ele, o Verdão ficou, no máximo, quatro jogos sem sofrer gols, em julho do ano passado - São Paulo (4 a 0), Chapecoense (2 a 0), Ponte Preta (2 a 0) e Avaí (3 a 0). A boa marca neste início de ano contrasta com os 19 jogos seguidos sofrendo gols do fim da temporada passada. Agora mais organizado e sem ter de mexer tanto na estrutura da equipe, o Verdão considera ter uma característica importante para não sofrer: a entrega desde os atacantes.

– A nossa marcação começa lá na frente, o Gabrielzinho (Jesus) acompanha o lateral adversário o tempo todo. Até por isso no Uruguai ele pediu para sair no começo do segundo tempo, com cãibra. Com todos se ajudando, pode dar certo – analisou o volante Thiago Santos.

Contra o Botafogo-SP, o Palmeiras correu mais sustos em bolas cruzadas na área, sempre colocadas próximas de Prass. Os espaços muitas vezes deixados por baixo no fim do ano passado, não apareceram tanto desta vez.

Na estreia, Marcelo Oliveira até ganhou uma nova opção de esquema: três zagueiros. No fim da partida, o treinador usou Roger Carvalho pelo lado direito, Leandro Almeida na sobra e Vitor Hugo no lado esquerdo da defesa, formatação que agradou ao técnico e aos jogadores do Palmeiras.

Apesar da aprovação, o Palmeiras ainda não deve abrir mão da linha de quatro jogadores na defesa e dois volantes. Atrás, o time ideal é conhecido: Lucas, Edu Dracena (machucado), Vitor Hugo e Zé Roberto - esta opção, porém, ainda não pôde ser usada este ano. Leandro Almeida, muito criticado em 2015, é quem mais atuou entre os zagueiros neste início de temporada.

A maior briga está entre volantes. Arouca, Thiago Santos, Matheus Sales, Moisés (que deve ser regularizado para esta rodada) e Jean, são as principais opções enquanto Gabriel se recupera de cirurgia no joelho esquerdo. Rodrigo, que machucou o tornozelo, nem está inscrito no Campeonato Paulista.

Ofensivo, mas vulnerável em 2015, o Palmeiras começa mais sólido defensivamente em 2016. Será um padrão durante todo o ano?

AS ESCALAÇÕES NO ANO:

Libertad: Sem Vitor Hugo, a defesa teve Lucas, Dracena, Leandro Almeida e Zé Roberto. Arouca e Matheus Sales, os volantes.

Nacional: A linha de defesa foi a mesma da estreia. A mudança se deu no meio: Moisés entrou na vaga de Matheus Sales.

Botafogo-SP: Com Dracena fora por lesão, Vitor Hugo entrou. No meio, Thiago Santos deixou Matheus Sales no banco.