Thiago Salata
01/07/2016
17:28
São Paulo (SP)

"O palmeirense quer ganhar, ver o time jogando bem, não gosta muito daquele toque para trás, aquela cadência. É um torcedor que pressiona o time a jogar no ataque. Você tem de ter uma equipe que responda a essa pressão. A gente tem de entender que quando jogar no Allianz tem de jogar em cima do adversário", afirmou Cuca em entrevista a este LANCE!, publicada em 6 de maio, antes da estreia do Palmeiras no Brasileirão. O técnico tem cumprido sua meta dentro da arena, tanto no desempenho quanto no resultado.

Cuca já tinha dois jogos pelo Palmeiras no Allianz Parque, com duas vitórias sobre São Bernardo e River Plate (URU), quando respondeu sobre como quer seu time em casa. Chegou a oito partidas, com oito vitórias e um saldo incrível até aqui: 22 gols marcados e apenas um sofrido - detalhe que este único gol, de Grafite, do Santa Cruz, deveria ter sido anulado por impedimento.

De fato, o Palmeiras está jogando "na garganta dos adversários", como resumiu o artilheiro Gabriel Jesus. Nos oito jogos na arena, em seis o Verdão foi para o intervalo vencendo: o gol mais tardio saiu aos 36 minutos (Alecsandro, contra o São Bernardo, antes do período de treinos para o Brasileirão). Nas duas vezes em que entrou no vestiário no 0 a 0 (contra Fluminense e Corinthians), a equipe foi fulminante logo no recomeço dos jogos com gols rápidos: aos dois minutos no Dérbi e aos 12 diante dos cariocas. Foram dez gols no primeiro tempo e 12 no segundo neste período de Cuca no Allianz Parque. Jesus marcou sete vezes.

O treinador perdeu uma única partida como mandante, logo a sua primeira, no Pacaembu, em meio à crise do Palmeiras: 2 a 1 para o Red Bull, em 24 de março. Depois, só vitórias. 11 vitórias (três no Municipal e oito na arena). A sequência é tão expressiva a ponto de estar a uma vitória da última grande série do Verdão como mandante (12), obtida pela máquina de 1996. O time de Cuca marcou 30 gols e sofreu apenas quatro (três num único jogo, contra o Grêmio - um deles estava em claro impedimento) nas 11 vitórias. Ao todo, são 31 gols a favor e seis contra com o treinador em casa desde março.

O Palmeiras está criando uma identidade como mandante. A torcida vai junto, com alta média de 30.326 pagantes por jogo no Nacional. Resta se acertar quando sai de São Paulo e do Allianz Parque (uma vitória, um empate e três derrotas no Brasileirão). Não dá para imaginar o Verdão terminando o campeonato 100% em casa e justamente por conta disso é necessário somar mais pontos fora. Por enquanto, os vacilos como visitante foram compensados: é o líder, com 25 pontos em 12 jogos (o Alviverde foi mandante sete vezes nesta primeira parte do torneio). Em casa, até aqui, é digno de aplausos.