LANCE!
27/03/2016
08:00
São Paulo (SP)

"Está acontecendo de novo". Foi com essa frase que Cuca lamentou o retorno de um drama recorrente em sua carreira como técnico: demorar para conseguir a primeira vitória. Às 16h deste domingo, no Prudentão, o Palmeiras enfrenta o Água Santa para acabar com a sequência de três derrotas seguidas com o novo comandante. Até agora, ele já esbarrou em Nacional (URU), Osasco Audax e Red Bull.

- As coisas podiam ser mais fáceis para mim, né? Geralmente eu chego em um time e levo umas porradas até dar a encaixada. Está acontecendo de novo. Não têm de ser seis (jogos), têm de ser três. Já perdemos o que tinha de perder - disse o comandante.

Seis jogos foi o jejum inicial de Cuca no Atlético-MG, em 2011. Para piorar, foram seis derrotas consecutivas. Mas, como se sabe, o trabalho do técnico deu muito certo no Galo: ele faturou o título mineiro em 2012 e a Libertadores de 2013.

Em 2003, no Goiás, também foram três derrotas seguidas. Em 2008, no Santos, a vitória só veio depois de quatro empates e quatro derrotas. No Fluminense, em 2009, só ganhou depois de três empates e uma derrota. De todos esses clubes, o único em que o treinador saiu rapidamente foi o Peixe, onde durou só 14 jogos em meio à luta contra a degola.

- Desse sofrimento a gente tem que tirar um princípio para ter alegrias, porque a gente não nasceu para sofrer. São momentos da vida em que você passa por provações e mais para frente você vai vai ter vantagens em cima dessa experiência negativa. Futebol é assim, eu já passei por cada coisa no futebol... Nossa! É difícil até lembrar. Depois, quando você lembra que deu certo, tem um sabor enorme. Não tenho dúvidas de que aqui vai dar certo, só que não é com varinha de condão que se resolve - completou. 

O Palmeiras precisa vencer o Água Santa para não terminar a 12ª rodada fora da zona de classificação para os mata-matas do Paulistão. O São Bernardo fez 4 a 1 no Rio Claro neste sábado e pulou para o segundo lugar, com 16 pontos, enquanto o Verdão tem 15, assim como o Novorizontino. A Ponte tem 13. Ou seja, uma derrota pode até colocar o clube na lanterna de sua chave.