Fellipe Lucena e Thiago Ferri
28/11/2016
21:01
São Paulo (SP)

Cuca já começa a se despedir do Palmeiras. Embora evite fazer o anúncio de seu futuro antes de se reunir com a diretoria, o técnico disse abertamente que um problema particular será sua prioridade nos primeiros meses de 2017. Por isso, é questão de tempo o anúncio da saída. O clube, ciente da decisão, já trabalha até com um plano B para o cargo.

- Quando procurei o Cuca, ele disse que estava precisando parar e dar atenção à família. Ele atendeu porque era o Palmeiras. Naquela primeira conversa o Cuca deixou claro que iria só até o fim do ano. Há oito meses, mudamos a ideia dele. Vamos tentar de novo, mas claro que já tenho uma ideia (de quem colocar no lugar de Cuca) - acrescentou.

Cuca falou com os jornalistas um pouco antes do diretor e foi mais contido. Embora não cravasse a saída, já deixava claro que sua intenção era se afastar de futebol no primeiro semestre.

- O time que eu gostaria de treinar em 2017 é este aqui, o Palmeiras. Mas tenho uma situação minha, particular, que era para ter feito este ano. Vou falar com o presidente, depois falamos com vocês - afirmou o treinador.

- Não tenho nada de fora, não dirijo outro time nos primeiros meses de 2017. A necessidade que eu tenho não é financeira - acrescentou.

Desde que chegou ao clube, em março, o técnico já dava indícios de que não renovaria. Com a conquista do título brasileiro, a torcida pediu o "fico" de Cuca, que se declarou mais uma vez palmeirense e viveu uma rápida empatia com os torcedores. Alexandre Mattos aumentou o coro para sua renovação, mas a mobilização parece não ter mudado a cabeça do treinador.

É possível que o anúncio da saída ocorra nesta terça-feira. Cuca, assim, despediria-se do clube no domingo que vem, contra o Vitória, já campeão. 

Embora o auxiliar Alberto Valentim seja bem avaliado dentro do clube, a intenção da diretoria é buscar outro comandante para a vaga aberta.