Fellipe Lucena e Thiago Ferri
07/12/2016
07:55
São Paulo (SP)

Cuca começou a viver a sua despedida do Palmeiras. Depois de ganhar o título brasileiro, o técnico está em sua última semana no clube e já iniciou o processo de transição no comando técnico. Seu sucessor ainda não foi anunciado, mas será Eduardo Baptista, que saiu da Ponte Preta na semana passada e encontrará uma base pronta para 2017.

Para o atual comandante, a sensação é de “dever cumprido”. Depois de assumir um time que chegou a se aproximar do grupo que brigava para não cair no Paulista, fez as reformulações para montar a equipe que dominou o Brasileiro. A campanha criou a cara que Cuca espera ver no Verdão em 2017.

– Saio com toda uma base para o próximo treinador. Fica um time muito bom, muito consistente, que joga perto, que joga um futebol solidário, um futebol que em algum momento era mais técnico, depois se tornou mais seguro. Ficamos com uma defesa muito sólida e um ataque rápido. Quando a gente uniu meio, ataque e defesa ficou muito gostoso jogar. E isso fica tudo aqui, para que seja colhido ano que vem – disse o técnico.

Nos quase nove meses no Verdão, a comissão técnica de Cuca fez o time tornar-se quase imbatível no Allianz Parque (só uma derrota e mais de 80% de aproveitamento), ser o dono da melhor defesa do Brasileiro e do segundo melhor ataque do campeonato, restando ainda um jogo.

Aliado ao trabalho da diretoria de futebol, já são também três reforços acertados: Hyoran, Raphael Veiga e Keno – Alejandro Guerra é outro com quem o Palmeiras negocia.

A cinco dias de sua despedida, Cuca sairá muito querido pela torcida e iniciará um período sabático, para cuidar da família. Mas antes, se dispôs a falar com Eduardo para dar dicas sobre o grupo campeão.

– Eu estou aberto ao que for. Eu gosto do Eduardo (Baptista), se for ele o treinador. O que ele precisar de mim, em todos os sentidos, pode contar comigo. Ele, a diretoria, todos, enfim – encerrou o atual treinador.