Fellipe Lucena
28/05/2016
08:00
São Paulo (SP)

O Palmeiras não vence o São Paulo no Morumbi há mais de 14 anos, desde março de 2002. Já são 22 jogos, com 13 derrotas e nove empates. Trata-se de um sinal negativo para o Choque-Rei deste domingo, às 16h, que será disputado na casa do rival e sem torcida visitante, mas poucas vezes ao longo deste tabu o Verdão chegou a um duelo com os tricolores em fase tão boa nos clássicos.

O próprio São Paulo já não consegue vencer o Palmeiras desde 16 de novembro de 2014, quando fez 2 a 0 no Morumbi pelo Brasileirão. De lá para cá, a vantagem verde é grande: três vitórias e um empate, com dez gols marcados e apenas um sofrido.

Desde o ano passado, o único Choque-Rei que o time do Palestra Itália não venceu foi disputado justamente no Morumbi. Mesmo assim, teve sabor amargo para os são-paulinos, que venciam por 1 a 0 até Robinho encobrir Rogério Ceni no último lance e decretar o empate por 1 a 1 pelo segundo turno do último Brasileiro.

Nas outras partidas, o São Paulo nem sequer marcou gols: 3 a 0 pelo Paulistão de 2015, 4 a 0 pelo Brasileirão de 2015 e 2 a 0 pelo Paulistão deste ano. Os dois primeiros foram no Allianz Parque e este último no Pacaembu, com mando do adversário.

- Eu conheço o São Paulo, é lógico. É minha vida, tenho que conhecer, a gente está todo dia vendo jogar. A gente sabe que eles têm um time forte, um início de jogo muito forte, como os jogos da Libertadores mostraram. Eles têm boas opções mesmo quando alguns jogadores precisam descansar, haja vista o jogo lá em Curitiba, que pelo que eu vi era para ter ganho - analisou Cuca, lembrando do empate por 1 a 1 entre São Paulo e Coritiba, no meio de semana.

O técnico do Verdão tem apenas 14 jogos no comando, mas já bateu o Corinthians e empatou com o Santos (acabou eliminado nos pênaltis). Contra esses dois adversários, o desempenho recente do Palmeiras também tem sido positivo.

De 2015 para cá, o Verdão acumula duas vitórias, dois empates e só uma derrota diante do Corinthians. Contra o Santos, o equilíbrio é maior: quatro derrotas, três vitórias e dois empates. Desvantagem à parte, foi contra o Peixe que o time faturou a Copa do Brasil.