Thiago Ferri
08/09/2016
19:25
São Paulo (SP)

Fernando Solera, presidente da Comissão de Controle de Dopagem da CBF, está nos Estados Unidos e aguarda o comunicado de que Alecsandro, atacante do Palmeiras, está livre para voltar aos treinos e jogos no clube. Depois de o laboratório em Los Angeles atestar na prova e contraprova exames positivos para uso de anabolizantes, um novo teste no mesmo local livrou o atacante. O comunicado pode acontecer entre esta quinta e sexta.

- Falei hoje com a Wada (Agência Mundial Antidoping), perguntei se era erro de laboratório e eles disseram que não, que na verdade precisariam rever a substância no conselho técnico. Ainda assim pedi tudo por escrito, amanhã (sexta) terei uma reunião com eles, porque preciso de explicações. Como o laboratório pode emitir positivo em amostras A e B em uma semana, e depois de quatro semanas dá negativo? Quero uma explicação técnica. Estou para receber a liberação nas próximas horas, falei para a Wada que não tem hora, podem mandar a resposta quando quiserem. Sei da aflição do jogador, da família do jogador. Assim que receber isto, vou retransmitir ao clube e o atleta poderá voltar a treinar - explicou Solera, em contato com o LANCE!.

Suspenso por dois anos após julgamento do TJD-SP, Alecsandro não tem nem treinado com o elenco na Academia de Futebol e está mantendo a forma fora do clube. Embora Solera considere que este comunicado da Wada seja o suficiente para que o jogador possa também atuar, sua defesa é cautelosa.

O advogador Bichara Abidão Neto, quem cuida do caso, explicou ao L! que para voltar a jogar Alecsandro precisaria passar por um novo julgamento. Até por isso, poderia pedir efeito suspensivo para que ele jogasse até isto. Solera, por sua vez, diz que se o ofício da Wada chegar como se espera entre o fim da noite de quinta e sexta, o centroavante poderia até estar à disposição para o jogo contra o Grêmio, em Porto Alegre.

O Palmeiras, por sua vez, não recebeu nenhum comunicado até o momento. Alecsandro fez seu último jogo no dia 24 de julho, na derrota para o Atlético-MG, no Campeonato Brasileiro.