Fellipe Lucena
30/04/2016
07:05
São Paulo (SP)

Finalista do Paulistão com o Audax e candidato ao prêmio de revelação do torneio, Tchê Tchê já tem acordo fechado para jogar no Palmeiras. O melhor momento da carreira do jovem de 23 anos - que vinha sendo observado pelo Corinthians e também recebeu oferta do Santos - contrasta com a difícil temporada passada.

O meia jogou só quatro vezes em 2015. A Ponte Preta o tirou do Audax em janeiro e pediu que ele abandonasse o apelido para usar o nome de batismo (Danilo Neves), mas nem o inscreveu no Estadual. Sua única chance pela Macaca foi em uma partida da Copa do Brasil em que Guto Ferreira utilizou só reservas. Os outros três jogos no ano foram pelo Boa Esporte, clube para o qual foi emprestado no segundo semestre.

Em abril, ainda sob contrato com a equipe campineira, o garoto foi à Arena Corinthians com o pai e a mãe. Viu seu time ser eliminado pelo Corinthians nas quartas de final do Campeonato Paulista e fez uma promessa à família: voltaria lá em 2016, mas para jogar. Jogou. E jogou bem. E fez gol no empate por 2 a 2 que levou a semi estadual entre Corinthians e Audax para os pênaltis. Na disputa, converteu sua cobrança e ajudou o time de Osasco a ir para a final.

"Ano passado, neste mesmo estádio, eu estava na arquibancada assistindo porque não havia sido convocado para jogar as quartas de final do Paulista. Muito triste, eu prometi para os meus pais que em 2016 me assistiriam jogar lá e que seria tudo diferente", escreveu ele no Instagram.

De volta ao Audax desde janeiro de 2016 – e com o apelido de novo –, Tchê Tchê já fez 17 partidas no Campeonato Paulista, chamou a atenção por ser ambidestro e pela facilidade para jogar em diferentes posições (volante, meia e até ala pela direita), além do golaço contra o Corinthians. Foi o técnico Cuca quem indicou a contratação à diretoria do clube.

O novo palmeirense joga prioritariamente como armador centralizado ou pela direita na linha de quatro no meio de campo, esquema usado por Cuca na vitória sobre o Corinthians, com Robinho nesta função.

O Palmeiras venceu a concorrência dos rivais ao oferecer um contrato válido por três anos ao jovem, que pode ser anunciado já na semana que vem, antes mesmo do jogo de volta contra o Santos. A ideia era impedir que o acordo se tornasse público antes do jogo de ida, em Osasco, e o vazamento irritou o dono do Audax, Mário Teixeira. Ele deu uma bronca pública no jogador.

Não está definido se o Verdão vai chamar o atleta de Tchê Tchê ou de Danilo. Vitor Hugo brinca:

– Eu vi uns jogos dele, jogou contra a gente, o moleque é bom. Fez um golaço na semifinal, que vai dar muito certo. Se conseguir mostrar aquela personalidade do Audax, vai nos ajudar. Mas tem que mudar esse nome e vir como Danilo. Esse negócio de Tchê Tchê não dá certo, não. Parece música do Gusttavo Lima.