Fellipe Lucena
17/11/2016
07:00
Enviado especial a Belo Horizonte (MG)

É na esquina da Avenida Olegário Maciel com a Rua Bernardo Guimarães, no bairro de Lourdes, em Belo Horizonte, que está guardado um dos maiores tesouros da carreira de Cuca, talvez o mais representativo. Não se trata de troféu ou medalha. A relíquia, usada por ele ao longo da campanha que levou o Galo ao título inédito da Libertadores em 2013, é uma camiseta preta com a imagem de Nossa Senhora no peito.

O LANCE! foi à procura da lembrança no início da tarde desta quarta-feira, véspera do jogo que marcará a primeira visita do treinador ao Independência desde que deixou o Atlético-MG, no fim de 2013 - a partida que pode deixar o Palmeiras ainda mais perto do título brasileiro será às 21h desta quinta.

Todos os presentes na sede administrativa do Galo sabiam da existência da camiseta, mas não foi fácil encontrá-la. Ela ficava exposta na vitrine que pode ser vista pelos pedestres, ao lado de taças e diversas camisas históricas do clube, mas foi tirada porque o contato frequente com o sol estava causando desbotamento.

Funcionários da equipe mineira passaram cerca de meia hora procurando. Não estava na sala que fica abaixo das prateleiras dos troféus, também não estava misturada a arquivos históricos do Atlético. Em um determinado momento, o mistério foi dado como desfeito, mas dentro da sacola encontrada estava um antigo meião. A recente reforma feita no local ajudou a confundir.

- Tinha que ser sofrido - brincou Pedro Souza, funcionário que recebeu a reportagem.

"Vou matar a saudade de um lugar que marcou minha vida. Nunca fui tão feliz num campo como no Independência, nunca tive um aproveitamento tão grande, algo em torno de 80%. Só tenho lembranças boas de tudo lá", diz Cuca

O tesouro estava cuidadosamente guardado em uma mala, envolvido em um plástico. As fotos que ilustram essa matéria foram enviadas imediatamente a Cuca, que deixou clara a importância do objeto.

- Eu ainda me emociono com essa camisa. Nem sei o que dizer, só agradecer. É muito forte - disse ele, grande devoto de Nossa Senhora.

A camiseta foi um presente da esposa de Cuca e ficou famosa durante a caminhada na Libertadores porque o técnico passou a utilizá-la em todos os jogos. E o Galo foi avançando, quase sempre com vitórias que só pareciam possíveis com milagres, até faturar a taça.

Cuca contou que mandou fazer 500 réplicas para distribuir aos torcedores. Funcionários também ganharam. Mas a original, usada por ele, é a que está na sede do Galo.

Se há alguma outra lembrança relacionada a Cuca no Atlético-MG? A resposta do funcionário do clube à pergunta feita pelo L! evidencia a idolatria dos mineiros pelo treinador, que deve ser aplaudido quando pisar no Horto.

- Só a Libertadores inteira.