Thiago Ferri
18/08/2017
10:00
São Paulo (SP)

O Palmeiras não pensa em perder Mina para o Barcelona (ESP) antes da Copa do Mundo da Rússia, em 2018. A imprensa espanhola noticiou nesta semana que o clube catalão, diante dos problemas na zaga, pode exercer a preferência de compra do colombiano antes, em janeiro, mas o Verdão considera estar bem protegido para que isto não aconteça.

Em fevereiro, o presidente Maurício Galiotte e o diretor de futebol Alexandre Mattos foram à Espanha para acertar este prazo. O Barça tem uma cláusula para comprar o zagueiro por 9 milhões de euros (R$ 33,5 milhões) - o Verdão adquiriu Mina do Santa Fé (COL), no passado, por cerca de R$ 11 milhões, valor pago pelo então presidente Paulo Nobre. Caso outro clube faça uma oferta maior, o time da Catalunha pode cobri-la.

A diretoria do Verdão considera ter ótima relação com a cúpula do Barcelona, tanto que no mês passado foi acertado o empréstimo de Vitinho ao Barça B. Se agradar durante o contrato, válido até o meio de 2018, o talentoso meia pode ser comprado pelo time catalão por quase 15 milhões de euros (R$ 55,8 milhões). Para o Palmeiras, este é mais um motivo para acreditar na permanência do camisa 26, pelo menos, até o Mundial da Rússia.

Os jornais espanhóis, contudo, citam as poucas opções do Barcelona para a zaga. Piqué e Umtiti são os principais nomes, além de Mascherano e o brasileiro Marlon, que nem foi relacionado para a Supercopa da Espanha. Por isso a intenção de trazer antes o palmeirense, que por enquanto se recupera de uma cirurgia no pé esquerdo.


O colombiano sofreu uma fratura no quinto metatarso durante o jogo contra o Barcelona (ECU) e deve ficar entre dois e três meses fora. A expectativa é de que ele volte a jogar entre setembro e outubro. 

Seu contrato com o Palmeiras é válido até 2021. Em fevereiro, o defensor recebeu um aumento diante da boa participação no título brasileiro.

A prioridade dada ao Barcelona foi uma estratégia de Alexandre Mattos para garantir a contratação. Mina estava apalavrado com uma equipe do futebol alemão, mas o diretor conversou com o Barça e encontrou uma forma de garantir ao jogador que ele poderia jogar lá se aceitasse o Palmeiras.