Thiago Ferri
29/10/2016
08:00
São Paulo (SP)

Contratado para ser o futuro do gol no Palmeiras, Vagner convive com a desconfiança. Depois de falhar na primeira sequência que teve na meta, o camisa 25 tem a seu favor a história contra o Santos para recuperar a credibilidade ultimamente abalada. Ele concorreu com Vinicius Silvestre ao posto de titular diante da suspensão de Jailson - Cuca já tomou sua decisão, mas faz mistério sobre o escolhido.

Em 2014, o goleiro se agigantou contra o Santos na final do Paulista e pegou o pênalti de Neto que deu ao seu Ituano o inesperado título estadual daquele ano. A boa campanha fez com que Vagner já chamasse a atenção do Verdão na época – no fim, acertou com o Avaí, onde jogou até dezembro.

Então bem credenciado, o reforço substituiu Fernando Prass quando o ídolo se apresentou à Seleção olímpica. Seu primeiro jogo não foi ruim, mas o Verdão perdeu para o Atlético-MG por 1 a 0. A partir daí, iniciou-se a pior fase do time na competição, prolongada depois da derrota por 3 a 1 para o Botafogo, em que Vagner não agradou.

O resultado tirou o Verdão da ponta, e Cuca no dia seguinte avisou que não iria mudar seu goleiro. A decisão durou até o jogo seguinte, quando o goleiro falhou feio no empate com a Chapecoense. Desde então, perdeu espaço para Jailson e fez apenas mais um jogo: a derrota para o Botafogo-PB, com o time quase inteiro reserva.

Vagner vem sendo ofuscado nos treinos por Vinicius, mas é uma opção mais experiente – além de ser mais rodado, é mais velho, tem 27 anos. Com contrato longo (até o fim de 2019), o clube não deve se desfazer dele apesar do início problemático.

Se for de fato o escolhido, o goleiro tem a chance de terminar a temporada ao menos com um pouco mais de confiança entre os torcedores. Em 2014, o Santos sofreu com ele. O camisa 25 torce para ter a oportunidade de voltar a aprontar contra o clube alvinegro.