Alexandre Guariglia
24/01/2016
02:05
São Paulo (SP)

Foi apenas um torneio amistoso, que serve de preparação para a temporada, principalmente a Copa Libertadores. O Palmeiras empatou sem gols com o Nacional (URU), mas desta vez, ao contrário do que aconteceu na final da Copa do Brasil, não triunfou nos pênaltis. Prass se destacou. As falhas nas cobranças dos demais, porém, pesaram em noite de atuações regulares. Confira as notas:

PALMEIRAS

7,0
Fernando Prass

Foi quase um espectador dentro de campo no primeiro e no segundo tempo do jogo. Quase foi herói nos pênaltis outra vez.

5,0
Lucas

Na defesa, ficou preso com as ameaças pelo seu lado; no ataque não produziu. Time sentiu falta do apoio. Foi sacado para a entrada de João Pedro.

6,0
Edu Dracena

O mais seguro entre os zagueiros, deu alguns sustos em cortes, mas se garantiu nas bolas aéreas e no posicionamento na área.

5,0
Leandro Almeida

Outra partida insegura. Tenta lançamentos sem eficiência. Quase marcou de cabeça no fim.

5,5
Zé Roberto

Apoiou muito pouco, a exemplo de Lucas, e na defesa teve menos trabalho do que seu companheiro.

6,0
Arouca

Sobrecarregado na marcação, não conseguiu ir tanto ao ataque, mas qualificou o passe quando pôde. Poupado, saiu no início do segundo tempo

5,5
Moisés

Tem força para ir e voltar no ataque, mas pareceu um pouco perdido, sentindo falta de entrosamento.

5,5
Robinho

Ainda sente os efeitos da volta das férias, mas deixou Dudu na cara do gol com um lançamento bem encaixado.

5,5
Dudu

A bola não chegou ao ataque e, além de ir buscar a bola na defesa, auxiliou na marcação nas laterais. Perdeu pênalti.

6,5
Erik

Outra vez, mostrou muita rapidez e habilidade, mas foi sacrificado ao ajudar na marcação. Melhorou no segundo tempo.

5,0
Alecsandro

Também foi prejudicado por receber poucas bolas, mas se movimentou menos do que na partida contra o Libertad. Foi substituído...

6,0
Matheus Sales

Deu mais mobilidade ao meio-campo palmeirense e foi eficiente na marcação defensiva.

5,0
Gabriel Jesus

Logo que entrou foi muito bem, levando perigo em algumas jogadas, mas perdeu pênalti decisivo.

5,5
João Pedro

Entrou para explorar o lado esquerdo da defesa adversária, mas não obteve sucesso.

5,0
Rafael Marques

No lugar de Erik, foi prejudicado pela falta de oportunidades. Pouco fez para mudar o jogo.

5,0
Allione

Outro que teve pouco tempo para mudar alguma coisa na partida. Isolou cobrança de pênalti na decisão.

5,0
Téc: Marcelo Oliveira

Pelo jeito terá muito trabalho para tirar o melhor de seu elenco. Ligação entre o meio-campo e o ataque praticamente não existe.

SOBE DESCE DO NACIONAL

SOBE
Nico López

Contra o Peñarol já havia tido destaque com velocidade e dribles. Neste sábado, o atacante novamente mostrou as mesmas ferramentas e foi o mais perigoso jogador da equipe uruguaia

Santiago Romero
Volante, tem boa marcação tanto em situações individuais quanto por zona. Sabe sair jogando com bons passes e se arrisca, com certo sucesso no ataque

Ignacio González
Habilidoso meia, é o cérebro da equipe, tem bom passe e inteligência para distribuir o jogo no ataque. Chute de longe é outro trunfo que o camisa 10 do time uruguaio. Deve dar trabalho na Libertadores por ser diferenciado

DESCE
Luis Mejía

Goleiro é muito acionado quando o Nacional toca a bola na defesa, mas mostra total insegurança tanto com ela nos pés quanto nas mãos. Chegou atrasado nas vezes em que foi requisitado.

Diego Polenta
Zagueiro jovem, porém com cacoetes de veterano. É lento na marcação e quando está com a bola proporciona fortes emoções para sua defesa

Juan Mascia
Atacante mais avançado do time uruguaio. Com pouca mobilidade, foi presa fácil para os defensores palmeirenses. Tentou um chute de longe sem a menor perspectiva de acerto. Foi substituído por ineficiência