Ídolo do Palmeiras nos anos 90, Edmundo deu dicas sobre futuro à joia palmeirense (foto: Divulgação)

Ídolo do Palmeiras na década de 90, Edmundo deu dicas sobre futuro à joia alviverde (foto: Divulgação)

Olga Bagatini
17/07/2016
07:00
São Paulo (SP)

É inegável que Edmundo teve uma carreira de sucesso. Três títulos brasileiros, status de ídolo no Palmeiras e no Vasco e a taça da Copa das Confederações-1997 pela Seleção Brasileira são apenas alguns de seus feitos. No entanto, ele acredita que poderia ter ido muito além, se tivesse evitado o que chamou de “escolhas erradas” na profissão, como ter rejeitado propostas de Real Madrid e Juventus durante o auge e ter saído da Fiorentina (ITA) para voltar ao Vasco.

O craque tentou usar sua experiência para aconselhar o jovem Gabriel Jesus, que tem apenas 19 anos, vive excelente fase no Palmeiras e tem sofrido forte assédio de grandes times europeus, como Real Madrid, Barcelona, Juventus, Bayern de Munique e Manchester United.

– As escolhas têm que ser bem feitas. Eu acabei fazendo escolhas erradas que fizeram com que minha carreira não fosse tão maravilhosa quando poderia ser. Não fui para a Europa quando jovem e voltei precocemente, com apenas 26 anos. Foi burrice, só pensava em dinheiro. Gabriel tem que ser o dono da própria história, avaliar muito bem as opções – disse o "Animal" ao LANCE!.

Edmundo lembrou que, na sua época, os atletas preferiam atuar no Brasil a rumar para equipes estrangeiras. Mesmo assim, teve algumas experiências no exterior: foi para a Fiorentina (ITA) em 1998, aos 26 anos, e voltou para o Vasco no ano seguinte. Em 2001, foi emprestado para o Napoli (ITA), e também teve passagens pelo japoneses Tokyo Verdy e Urawa Red Diamonds. Hoje em dia, reconhece que o fluxo acontece da maneira reversa, mas se mostra confiante quanto ao sucesso do jovem atacante palmeirense. 

– É difícil segurar, os jogadores de hoje sonham mais em jogar no exterior do que no Brasil. Na minha época a gente tinha mais vontade de ficar. Claro que, no caso de Gabriel, tem muito dinheiro envolvido, de gente que investiu nele lá atrás e do Palmeiras, que abriu as portas para ele. O garoto precisa colocar tudo isso na balança. Ouço maravilhas dele como pessoa, de que é muito ligado à família. Esse apoio é importante para tomar uma boa decisão e escolher um time em que possa dar sequência na carreira brilhante dele, que só está começando – acrescentou Edmundo, que vê em Gabriel uma esperança para a conquista do inédito ouro olímpico na Rio-2016.

– Será uma oportunidade única para ele fazer história. A geração é excelente, o Brasil está muito bem servido de atletas, e Gabriel ainda poderá contar com Fernando Prass para deixá-lo mais seguro. Existe uma pressão maior por jogar em casa, mas, por outro lado, tem a torcida a favor. O clima favorece. Pelo menos no papel, temos a melhor seleção da Olimpíada – concluiu o ídolo. 

GRANDES ARREPENDIMENTOS DE EDMUNDO

Recusa ao Real Madrid
Bicampeão brasileiro pelo Palmeiras em 1993 e 1994, Edmundo recebeu proposta para assinar por oito anos com o clube merengue. Receberia a mesma quantia que ganhava no Brasil, porém no clube alviverde contava com aumento de salário anual. Não aceitou ir.

Saída do Palmeiras para o Flamengo
Em 1995, deixou o Verdão e foi para o Rubro-Negro – rival do Vasco, clube que o revelou como jogador. Foi recebido calorosamente no Flamengo, mas decepcionou: o ataque com Sávio e Romário não rendeu como o esperado.

Carnaval no Rio de janeiro em 1999
Em sua segunda temporada pela Fiorentina (ITA), Edmundo pediu e recebeu autorização para curtir o Carnaval no Rio de Janeiro. O atleta já não tinha boas relações com grupo, e o time estava na liderança do Campeonato Italiano. Durante a ausência do brasileiro, a equipe sofreu uma derrota, e ele foi acusado de falta de profissionalismo. Diz sentir remorso por ter vindo.

Não à Juventus
Após defender Vasco, Palmeiras, Flamengo e Corinthians, Animal finalmente vai para a Europa em 1998, aos 26 anos, como campeão e artilheiro do Brasileiro pelo Cruz-Maltino. Edmundo ganhou destaque na Fiorentina e despertou a atenção de gigantes europeus, como a Juventus, mas preferiu voltar para a o Vasco no ano seguinte, a fim de ficar perto da família. Também se arrepende.

Ausência do Vasco no Mundial-1998
No início de 2016, Edmundo publicou uma foto da final do Mundial de Clubes de 1998, entre Vasco e Real Madrid, com a legenda: "Queria tanto ter jogado essa partida. Certeza que o resultado seria diferente". Na época, ele defendia a Fiorentina e viu, de longe, o Cruz-Maltino ser derrotado por 2 a 1. Em 2000, teve a chance de ser campeão mundial pelo Vasco, mas o time carioca perdeu a decisão para o Corinthians - o ex-centroavante perdeu um pênalti decisivo.