LANCE!
31/08/2016
21:23
São Paulo (SP) 

O volante Arouca postou um comunicado no início da noite desta quarta-feira afirmando ter sido "um grande choque" o resultado positivo em exame antidoping. O jogador foi flagrado em jogo contra o Internacional, no Beira-Rio, pela 15ª rodada do Brasileirão. 

"Sempre me cuidei e procurei saber dos médicos do clube a respeito de remédios, injeções e tudo que precisei usar em tratamentos de contusões, justamente para não ter esse tipo de problema. Não seria diferente agora, no auge da experiência de quase 15 anos no futebol profissional". 

Mais cedo, os médicos do Palmeiras, Vinicius Martins e Rubens Sampaio deram explicações sobre o tratamento de Arouca. A substância identificada no teste do volante foi a "triancinolona", por conta de uma infiltração feita no joelho esquerdo. De acordo com os profissionais, não houve doping, pois o uso do remédio foi intra-articular, forma autorizada pela Wada (Agência Mundial de Antidoping) e pela comissão de dopagem. O clube vê semelhanças no caso com o de Yago, zagueiro do Corinthians.

O jogador do Corinthians  também recebeu medicamento de forma intra-articular e ficou suspenso por 30 dias. Já com Alecsandro, os médicos não fazem comparação. O atacante foi suspenso por dois anos após ser pego no doping com o uso de anabolizantes.

Confira a íntegra do comunicado de Arouca: 

"Olá, pessoal!
Na tarde de ontem, fui surpreendido com a notícia de que havia testado positivo no exame antidoping. Foi um grande choque para mim, já que prezo pelo jogo limpo e jamais usei qualquer substância ilícita ou tomei qualquer tipo de medicamento sem conhecimento do departamento médico. Sempre me cuidei e procurei saber dos médicos do clube a respeito de remédios, injeções e tudo que precisei usar em tratamentos de contusões, justamente para não ter esse tipo de problema. Não seria diferente agora, no auge da experiência de quase 15 anos no futebol profissional.
Por isso, gostaria de deixar claro que não usei nenhum tipo de substância para me beneficiar e nem melhorar o meu desempenho atlético. Em momento algum fui imprudente ou negligente neste caso ou durante minha trajetória. Venci minhas dores e os problemas físicos, que fazem parte da rotina de um atleta, de maneira correta e honesta por todos esses anos no esporte. Não foi diferente dessa vez, como bem frisaram os médicos do clube na coletiva de imprensa realizada na Academia de Futebol hoje à tarde.
Respeito a comunidade do futebol e do esporte, faço controles antidoping frequentemente e jamais colocaria a minha reputação ou a de colegas em risco. Portanto, não aceito ter a minha imagem arranhada por uma indevida acusação de doping, já que não o pratiquei.
Aproveito para agradecer a todos pelo carinho e pelas mensagens de apoio que vocês têm me enviado."