Thiago Ferri
22/01/2018
07:00
São Paulo (SP)

Por conta do desgaste, Roger Machado não conseguiu dar um treino para os titulares desde a estreia no Paulista, contra o Santo André. Após as avaliações físicas pré-jogo, decidiu repetir o time na partida de domingo, contra o Botafogo-SP, para acelerar o entrosamento da espinha dorsal do Palmeiras-2018. O resultado e a postura foram recompensadores.

Diferentemente da partida contra o Santo André, em que o Verdão fez um bom primeiro tempo, a equipe desta vez atuou melhor na etapa final, quando começou a ser mais combativa no campo de ataque. Foi assim que Willian roubou a bola e iniciou a jogada do gol de Borja. Com vantagem e sob um calor de quase 40ºC, o Verdão passou a controlar o jogo e correu poucos riscos.

Os principais problemas vieram na primeira etapa. Marcos Rocha deu opção para jogadas de ataque, mas defensivamente teve muitos problemas. O Botinha, principalmente em contragolpes, conseguiu criar mais chances que o Verdão. Roger considera que conseguiu corrigir o posicionamento durante a parada técnica por conta do calor e, dali em diante, teve o comando do jogo.


Não foi uma atuação tão vistosa quanto na partida do Allianz Parque, mas ainda assim o time teve chance de fazer um placar mais elástico, já que foram criadas três chances claras nos últimos cinco minutos. O técnico considerou que a "perna pesada" pelo desgaste não deixou as jogadas serem concluídas da melhor forma. Ainda assim, o Verdão segue 100% no Paulista.

Neste início de trabalho de Roger, chama a atenção este esforço para fazer o time "entender" o jogo. Ou seja, não é necessário correr o tempo todo, para em alguns momentos cadenciar, ficar com a bola, diminuir o desgaste e cansar o adversário. Segundo o treinador, o elenco já tem avançado neste quesito.

Borja, aposta do comandante, vem sendo mais participativo como se pede e ainda que tenha se atrapalhado em algumas vezes com a bola no pé, foi decisivo. Ao menos por enquanto, o time deve ter o centroavante como titular, apesar do teste no fim do segundo tempo de um ataque mais móvel, com Willian, Keno e Dudu.

Ainda sem Dracena, Diogo Barbosa, Moisés e Gustavo Scarpa, o Palmeiras vai evoluindo e pontuando. Depois de uma sequência desgastante, o elenco recebeu folga. A partir de terça, Roger vai fazer os ajustes necessários para a próxima partida, quinta, contra o Red Bull.