Marcelo Oliveira

Técnico do Palmeiras durante o jogo contra o Nacional (Foto: Cesar Greco/Fotoarena)

Thiago Ferri
25/01/2016
10:30
Enviado Especial a Montevidéu (URU)

Depois de terminar como vice-campeão no torneio amistoso que disputou em Montevidéu (URU), o Palmeiras voltou neste domingo ao Brasil para acertar os últimos detalhes antes de sua estreia no Paulista, domingo que vem, contra o Botafogo-SP. Após a folga de segunda, serão cinco dias para que Marcelo Oliveira acerte a sintonia fina de seu recheado elenco.

Durante o período no Uruguai, o treinador viu alguns de seus reforços chamarem a atenção, como Edu Dracena, líder da defesa neste início de ano, além de Moisés e Erik, que agradaram principalmente contra o Libertad (PAR). Régis, destaque nos treinos desde Itu, nem entrou nos jogos, mas tem realizado uma boa pré-temporada. A força do grupo tem deixado o comandante animado.

– Vi que temos uma boa condição técnica, um time base e novos jogadores podem ser usados neste processo. Temos um leque maior de opções – analisou o treinador depois da derrota para o Nacional (URU).

Tais opções ainda vão aumentar, pois espera-se que Vitor Hugo (que estava com um edema muscular), Jean (ainda treinando para melhorar sua forma) e Barrios (que ficou em São Paulo fazendo fortalecimento muscular) estejam prontos para o Estadual – os três foram poupados durante a competição amistosa.

Com estes reforços, a principal meta de Marcelo Oliveira será melhorar o desempenho do time. Mesmo que ainda na pré-temporada, o treinador não ficou satisfeito especialmente com a atuação contra o Nacional, jogo em que o Verdão esteve “muito preso”, segundo ele.

– Enfrentamos uma escola de futebol distinta da nossa, com um clima parecido com o que vamos encontrar na Libertadores e até as penalidades foram proveitosas. O importante foi observar jogadores, alguns importantes ainda estão abaixo e podem render mais, e sabemos que quando todos estiverem bem, o desempenho será melhor – avisou.

Ainda com pouco tempo de treino em 2016, o Palmeiras mostrou estar ainda “enferrujado”, algo esperado na pré-temporada. Mas para Marcelo Oliveira isto não é desculpa: para ele, no domingo o Verdão já pode apresentar um futebol bem melhor.

SOBE E DESCE

Sobe - Defesa: Depois de seis meses, o time voltou a ficar duas partidas sem sofrer gols. Isto não acontecia desde julho de 2015 (nas vitórias por 1 a 0 sobre o ASA, pela Copa do Brasil, e sobre o Santos, no Brasileirão). Edu Dracena estreou no torneio amistoso e teve sua liderança elogiada por jogadores e Marcelo Oliveira. Sem Vitor Hugo, poupado, Leandro Almeida foi o parceiro do camisa 3 nos confrontos contra o Libertad e Nacional.

Desce - Movimentação: Embora o Palmeiras tenha treinado bastante a saída de bola para evitar chutões e melhorar a criação de jogadas, no sábado a equipe ficou devendo. Moisés, destaque diante do Libertad, errou muitos passes e as jogadas pelo meio não funcionaram, dependendo especialmente dos lances de velocidade nos lados do campo. Após a entrada de Matheus Sales, o time teve uma leve melhora.