icons.title signature.placeholder Fellipe Lucena
icons.title signature.placeholder Fellipe Lucena
12/07/2013
11:47

Gilson Kleina completou 50 jogos à frente do Palmeiras no último sábado, na goleada por 4 a 0 sobre o Oeste, em Presidente Prudente. A marca, no entanto, será registrada de forma oficial nesta sexta-feira, contra o ABC-RN, no Pacaembu, já que o técnico estava suspenso no fim de semana e deu ao auxiliar Juninho a missão de comandar o time à beira do gramado. Para ele, o que importa é que o Verdão está "no caminho certo".

- O Palmeiras encaixou, está no trilho. Espero que os jogadores mantenham o foco, porque o Palmeiras vai chegar a um patamar muito forte. Ano que vem, o palmeirense volta definitivamente para sua casa (Série A) e vamos poder falar com mais tranquilidade sobre o que representou o ano de 2013 - declarou o comandante, que acumula 21 vitórias, 11 empates e 17 derrotas, sem contar o jogo que Juninho comandou.

Contratado para substituir Luiz Felipe Scolari em setembro de 2012, Kleina não conseguiu livrar o Verdão do rebaixamento. Ele vinha de um ótimo trabalho na Ponte Preta, onde acredita ter vivido o melhor momento da carreira: o acesso à Série A, conquistado em 2011 com um terceiro lugar na Segundona. A queda com o Palmeiras é justamente o oposto, já que o treinador a aponta como pior passagem de sua trajetória.

- Tive 12 jogos, então não posso me isentar da culpa. É difícil cair com um grande, mas agora estamos reagindo, estamos no caminho e espero que possamos colher grandes frutos. Espero que a grande conquista esteja por vir - disse ele, ao LANCE!Net.

Kleina caiu com o Palmeiras também nas oitavas de final da Sul-Americana de 2012, diante do Millonarios (COL), e da Libertadores de 2013, contra o Tijuana (MEX), além de ter sido eliminado pelo Santos nas quartas de final do último Paulistão. Neste ano, além da Série B, ainda tem a Copa do Brasil para disputar.

Gilson Kleina completou 50 jogos à frente do Palmeiras no último sábado, na goleada por 4 a 0 sobre o Oeste, em Presidente Prudente. A marca, no entanto, será registrada de forma oficial nesta sexta-feira, contra o ABC-RN, no Pacaembu, já que o técnico estava suspenso no fim de semana e deu ao auxiliar Juninho a missão de comandar o time à beira do gramado. Para ele, o que importa é que o Verdão está "no caminho certo".

- O Palmeiras encaixou, está no trilho. Espero que os jogadores mantenham o foco, porque o Palmeiras vai chegar a um patamar muito forte. Ano que vem, o palmeirense volta definitivamente para sua casa (Série A) e vamos poder falar com mais tranquilidade sobre o que representou o ano de 2013 - declarou o comandante, que acumula 21 vitórias, 11 empates e 17 derrotas, sem contar o jogo que Juninho comandou.

Contratado para substituir Luiz Felipe Scolari em setembro de 2012, Kleina não conseguiu livrar o Verdão do rebaixamento. Ele vinha de um ótimo trabalho na Ponte Preta, onde acredita ter vivido o melhor momento da carreira: o acesso à Série A, conquistado em 2011 com um terceiro lugar na Segundona. A queda com o Palmeiras é justamente o oposto, já que o treinador a aponta como pior passagem de sua trajetória.

- Tive 12 jogos, então não posso me isentar da culpa. É difícil cair com um grande, mas agora estamos reagindo, estamos no caminho e espero que possamos colher grandes frutos. Espero que a grande conquista esteja por vir - disse ele, ao LANCE!Net.

Kleina caiu com o Palmeiras também nas oitavas de final da Sul-Americana de 2012, diante do Millonarios (COL), e da Libertadores de 2013, contra o Tijuana (MEX), além de ter sido eliminado pelo Santos nas quartas de final do último Paulistão. Neste ano, além da Série B, ainda tem a Copa do Brasil para disputar.