Lucas Barrios - Spartak, Montpellier, Paraguai e Palmeiras

Lucas Barrios defendeu Spartak, Montpellier, Paraguai e Palmeiras durante a maratona (FOTOS: Arquivo L!)

Fellipe Lucena
04/02/2016
08:00
São Paulo (SP)

Lucas Barrios, enfim, teve descanso. Foram dois anos sem tirar férias, com 72 jogos, 24 gols e um título, tudo isso jogando por três clubes diferentes e pela seleção paraguaia. Às 21h desta quinta-feira, no Pacaembu, ele será titular do Palmeiras contra o São Bento e fará sua estreia em 2016. La Pantera está pronta para fazer o que sabe.

A expectativa no clube é de que o goleador consiga atingir sua plenitude física ao longo desta temporada, sobretudo para a disputa da Libertadores. Até o fim do ano passado, ele dizia que entendia a cobrança por rendimento e resultados, mas alertava que não estava 100%.

– Esse tempo que eu fiquei sem férias me atrapalhou um pouco na hora de jogar tantas partidas seguidas, como Brasileiro, Copa do Brasil, Copa América e Eliminatórias. Ainda mais com a intensidade dos jogos aqui do Brasil e com a seleção paraguaia, que exige muito esforço e dedicação – lembra o atacante, ao LANCE!.

Este ano tem tudo para ser diferente, apesar de ter começado com problemas físicos: o paraguaio não viajou ao Uruguai para os dois amistosos da Copa Antel para aprimorar a forma na Academia de Futebol e acabou vetado do jogo de estreia do clube no Paulistão, contra o Botafogo-SP, devido a uma inflamação lombar. Segundo o clube, este problema é fruto de uma alteração anatômica de uma vértebra do jogador, algo que ele tem desde que nasceu, e não é motivo para maiores preocupações.

– Já estou me sentindo muito bem, mas para estar 100% preciso começar a jogar e adquirir ritmo de jogo. Para isso, será muito importante jogar contra o São Bento – disse.

A maratona de Barrios começou em janeiro de 2014, a serviço do Spartak Moscou (RUS). Embora não tenha jogado durante a Copa do Mundo, já que o Paraguai não se classificou, a equipe russa seguiu treinando. Foram oito jogos e um gol até agosto, quando ele foi emprestado ao Montpellier (FRA), clube que defenderia até maio do ano passado.

Barrios fez 11 gols em 33 partidas na França, média de 0,33 gol/jogo, um pouco menor que o índice de 0,38 (8 gols em 21 jogos) que ostenta em sua passagem pelo Verdão. Na seleção, foram quatro gols em dez jogos.

A MARATONA:

Spartak (RUS)
Maratona do paraguaio começou em janeiro de 2014, quando o Spartak voltou das férias. Foi a pior fase dele no período: oito jogos, apenas dois como titular, e só um gol – em um triunfo por 4 a 0 sobre o Rubin Kazan, sua despedida do clube, em que entrou aos 37 minutos do segundo tempo. Foram cinco derrotas, duas vitórias e um empate. Não houve jogos na Rússia durante a Copa do Mundo, mas o time seguiu treinando. Barrios saiu em agosto do mesmo ano.

Montpellier (FRA)
Foi emprestado ao clube francês em agosto de 2014 e jogou toda a temporada 2014/15 no clube. Atuou em 33 partidas, sendo 32 como titular, e marcou 11 gols, além de ter dado três assistências. Foram 13 vitórias, seis empates e 14 derrotas. Após sua passagem pela França, veio ao Palmeiras.

Seleção paraguaia
Entre sua saída do Montpellier e a chegada ao Palmeiras, Barrios disputou a Copa América de 2015 com sua seleção, no Chile. Fez quatro jogos, sendo dois como titular, e marcou dois dos três gols do Paraguai no torneio. Contando amistosos e Eliminatórias, fez dez jogos pela seleção no período sem férias, todos em 2015 e sete como titular: duas vitórias, cinco empates e três derrotas, com quatro gols marcados.

Palmeiras
Iniciou sua passagem pelo clube após a Copa América, já com 52 jogos “nas costas”. Encerrou a maratona com chave de ouro ao faturar o título da Copa do Brasil com atuação brilhante na final e gols decisivos na campanha. Foram oito bolas na rede em 21 jogos, sendo 15 como titular: dez vitórias, três empates, oito derrotas.

Confira um bate-bola exclusivo com Lucas Barrios:

Mesmo depois de ficar dois anos sem descanso, você treinou no fim das férias. Por que esse trabalho?
Sempre treino nas férias para chegar bem preparado na pré-temporada e conseguir jogar durante todo o ano em alto nível. Foi isso o que aconteceu.

Qual foi o motivo de não ter ido para o torneio no Uruguai?
Graças a Deus, consegui fazer toda a pré-temporada e me sinto bem. Não fui ao Uruguai porque queria fazer um trabalho de fortalecimento e alguns exercícios na academia. Agora já estou preparado para jogar. Se Deus quiser, poderei fazer a minha estreia.

Tem uma meta de gols no ano?
Nunca prometo gols, apenas muita dedicação e trabalho em equipe. Eu não me preocupo com isso, pois quando todos trabalham em prol do time, os gols saem naturalmente.

Até a estreia na Libertadores, a equipe já estará no nível ideal?

Nós estamos trabalhando para chegar bem à Libertadores, mas pensamos em uma partida de cada vez. Quando chegar a hora, pensaremos.