Fellipe Lucena
07/05/2016
08:00
São Paulo (SP)

Uma longa conversa após o treino de quinta-feira pode marcar um recomeço para Lucas Barrios no Palmeiras. Cuca caminhou ao lado do centroavante em um dos gramados da Academia de Futebol, sempre gesticulando, e lhe prometeu chances quando o Brasileirão começar.

A justificativa do treinador é o bom desempenho do camisa 8 nos últimos treinos, mas seus números nos sete jogos em que foi acionado com a atual comissão técnica jogam a favor: são três gols e uma assistência. O problema é que justamente nas duas vezes em que foi titular ele não foi decisivo.

- Nos treinos é outro jogador, é aquele que eu esperava ver quando cheguei. Ele tem força, tem confiança e vai ter a oportunidade dele. Eu posso ir até aí. Daí para diante quem vai entrar é o potencial dele, e hoje ele se sente com força e segurança para jogar bem - disse Cuca, que considerou o centroavante "muito mal" no último jogo em que foi titular, contra o River Plate (URU), pela Copa Libertadores.


O comandante considera que a ida à seleção paraguaia foi prejudicial para Barrios. Ele foi citado para os jogos contra Equador e Brasil, pelas Eliminatórias, mas não jogou e “destreinou”, nas palavras do chefe.

Depois de desfalcar o Palmeiras contra Red Bull e Água Santa, o camisa 8 foi titular contra Rio Claro e River Plate, mas não marcou gols nestas partidas e foi substituído em ambas.

Quando sai do banco, porém, Barrios costuma ir bem. Ele entrou no decorrer de cinco partidas e foi decisivo em quatro delas: marcou gol contra Audax, Rosario Central e Mogi Mirim e deu uma assistência contra o Santos - embora tenha perdido sua cobrança na disputa de pênaltis na Vila. A única vez que ele entrou e não conseguiu marcar ou participar de um gol foi na estreia de Cuca, na derrota por 1 a 0 para o Nacional (URU).

O gringo não parece estar no time idealizado por Cuca, mas terá espaço. As sondagens, do Brasil e de fora, devem ser ignoradas.