Fellipe Lucena
10/11/2016
07:45
São Paulo (SP)

Ainda faltam quatro rodadas para o fim do Campeonato Brasileiro e o Palmeiras já tem acordo com três jogadores para as próximas temporadas: os meias Raphael Veiga (21 anos, do Coritiba) e Hyoran (23 anos, da Chapecoense) e o atacante Keno (27 anos, do Santa Cruz). Todos se destacaram no Campeonato Brasileiro deste ano e assinarão contratos longos com o Verdão. Além de ter dinheiro para investir, o clube contou com a ajuda de seu departamento de análise de desempenho para sair na frente dos rivais.

Gabriel Oliveira, Gustavo Nicoline e Rafael Costa, os três analistas de desempenho do Palmeiras, têm como missão observarem todos os jogos das Séries A e B do Brasileirão. A ideia, além de detectar jogadores que possam reforçar o clube, é dissecar os próximos adversários da equipe de Cuca, algo que o treinador cobra muito.

As atuações de Raphael Veiga, Hyoran e Keno foram analisadas em detalhes pelo departamento, que aprovou o trio. A comissão técnica, embora Cuca ainda não tenha permanência garantida para a próxima temporada, também deu o seu aval. Respaldado por isso, o diretor de futebol Alexandre Mattos se antecipou no mercado e convenceu os atletas a jogarem no Palmeiras bem antes de a maioria dos clubes começar a se movimentar.

Raphael Veiga, por exemplo, também chamou a atenção de Corinthians e São Paulo. Mas quando os rivais iniciaram os contatos para tentar levá-lo, foram informados de que já havia um acordo com o Verdão. 

É claro que a confortável situação financeira do Palmeiras também ajuda. No caso de Keno, quem chegou primeiro foi o Santos. A diretoria alvinegra até adiantou as negociações com o atacante, mas foi atropelada pelo Verdão na parte salarial.

Alguns jogadores da Série B até chamaram a atenção dos analistas, mas não o bastante para que o Palmeiras investisse. Entre eles estão Gustavo e Luidy, que foram para o Corinthians, e Jean Carlos e Robson, que acabaram no São Paulo. Na Série A, quem também chamou a atenção foi o zagueiro Juninho, do Coritiba, que pode atuar improvisado como lateral-esquerdo.