Alecsandro

Alecsandro fala com o grupo antes do jogo contra o Rio Claro, na quinta (Foto: Cesar Greco)

Thiago Ferri
03/04/2016
08:00
São Paulo (SP)

Após um início apagado no Palmeiras, Alecsandro começou 2016 mandando um recado:

– O torcedor do Palmeiras vai me respeitar, porque eu vou fazer gols e vou ganhar títulos aqui.

Após pouco menos de três meses desta entrevista concedida ao LANCE!, o camisa 29 vem cumprindo a primeira parte do prometido. Artilheiro do time na temporada junto de Gabriel Jesus com seis gols, o atacante, em boa fase, é junto de Robinho quem mais participou de gols na temporada e será mais uma vez titular neste domingo, no clássico das 16 horas, contra o Corinthians.

Se no fim de 2015 o torcedor torcia o nariz com o atacante, ele hoje é um dos mais elogiados não apenas pelos gols, mas pela disposição. Centroavante experiente, o jogador atuou em 16 dos 19 jogos do Verdão no ano e vem chamando a atenção pela liderança e boa participação fora da área. Nada que surpreenda Cuca, com já quem trabalhou no Atlético-MG, em 2013.

– O Alecsandro é incomodado com a parte tática, com a parte motivacional. É um cara que, jogando ou não, é um líder, gosta de ganhar – dissera Cuca, há três anos, ainda à frente do Galo.

Durante a passagem da dupla em Belo Horizonte, o comandante palmeirense já havia usado o centroavante com liberdade, até mais recuado, como aconteceu na quinta, contra o Rio Claro, e deve se repetir nesta tarde, no Pacaembu.

– O Alecsandro foi muito importante no Atlético-MG. Ele não era titular absoluto, mas o time não se fazia com 11 só, eram 15, 16 jogadores e ele era um deles. Sempre teve personalidade, bateu pênaltis decisivos e para nós está sendo importante, também. Confiamos nele para sair deste momento - analisou Cuca, na quinta-feira.

Desde a chegada de Cuca à Academia de Futebol, Alecsandro é um dos que mais elogiam o treinador. Além de terem conquistados juntos o Campeonato Mineiro e a Libertadores de 2013, o camisa 29 é grato ao comandante por ter lhe ajudado a realizar um sonho de família: jogar junto de seu irmão, Richarlyson, em Belo Horizonte.

Em 2015, Alecsandro fez 18 jogos e balançou as redes apenas duas vezes. Neste ano, com duas partidas a menos, triplicou o número de gols e deu três assistências: ele e Robinho são os que mais participaram de gols no ano, com nove cada.

Da promessa feita em janeiro pelo atacante, faltam os títulos. Para manter-se no grupo dos classificados às quartas para o Estadual, o Palmeiras de Alecsandro precisa ao menos de um empate de hoje. Com o centroavante em alta, Cássio que se cuide no Pacaembu!

SEM MEDO DE FALAR
Pré-temporada: Ao L!, o atacante prometeu ficar marcado por gols, e que não iria se acomodar com a reserva. É o artilheiro do ano.

No Paulista: Na estreia, contra o Botafogo-SP, atacante foi para o intervalo reclamando da fraca atuação do time. Depois, ele abriu o placar na vitória do Verdão por 2 a 0.

Em Atibaia: Antes do jogo contra o Rio Claro, atacante cobrou os mais experientes do grupo, como ele. Em campo, fora de função, atuou bem e marcou uma vez.