Alecsandro

Atacante do Palmeiras durante o treino, na Academia de Futebol (Foto: Cesar Greco)

RADAR/LANCE!
19/09/2016
23:59
São Paulo (SP)

Após o caso do doping que não existiu, o atacante Alecsandro foi um dos convidados do programa "Bem, Amigos!", do canal SporTV e comentou sobre o momento que segundo ele, foi mais difícil em toda sua carreira. O exame deu positivo para o uso O-Dephenylandarine. No entanto, o centroavante conseguiu comprovar sua inocência com a Wada (a agência mundial antidoping). Alecgol afirmou que o mais preocupante era como seu filho de 11 anos iria receber a notícia.

- Minha preocupação maior era como eu contaria para o meu filho. As redes sociais estão muito avançadas, um menino de 11 anos já mexe no celular melhor do que a gente. Me doeu muito. Minha preocupação era com ele, na escola, como seria. Eu lembro que o que eu pude dizer para ele é que o pai não tinha feito nada, que eu ia conseguir provar a inocência - afirmou.

Atacante já pode voltar a atuar pelo Palmeiras, mas revelou que durante os três meses de suspensão teve que evitar lugares públicos, e treinamentos aconteciam dentro do quarto.

- Foram três meses de muita luta, de muita tristeza. Foi uma situação constrangedora, difícil. Foram quase três meses treinando no quarto, evitava de ir em academia, porque eram sempre as mesmas perguntas: "Quando você volta? O que aconteceu?" - disse o camisa 29 do alviverde. 

Quando perguntado sobre algum tipo de processo, Alecsandro disse que ainda nem passou por sua cabeça e o que prevaleceu foi a alegria de poder voltar a jogar. 

- Eu fiquei tão alegre de ter voltado que nem pensei nisso ainda. Não passa na minha cabeça de tentar processar alguém.